Exclusivo

Manteigas quer prevenir o inverno mas não sabe como  

Manteigas quer prevenir o inverno mas não sabe como  

O presidente da Câmara de Manteigas diz que a prevenção de enxurradas como as três recentes só pode começar com diretrizes do ICNF, que ainda não foram dadas, e pede rapidez.

Em pouco mais de uma semana, três enxurradas alagaram casas, arrastaram automóveis e obstruíram ruas, danificando tudo por onde a água e os detritos dos incêndios iam passando. Duas aconteceram em Sameiro e uma em Vale de Amoreira (no início da semana passada e anteontem), freguesias de Manteigas. Flávio Massano, presidente da Câmara, lamenta que o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) ainda não tenha dado às autarquias diretrizes claras sobre como proceder para minimizar o impacto da chuva que cairá ao longo dos próximos meses. E, à semelhança do presidente da Junta de Freguesia de Vale de Amoreira, antecipa que "o inverno vai ser longo".

Sameiro não dormiu, na terça-feira da semana passada, quando uma enxurrada causou o caos no centro da freguesia, destruindo inclusive uma parte da zona ribeirinha. Anteontem, aconteceu de novo. A chuva intensa voltou a causar estragos em Sameiro, mas, acima de tudo, na freguesia de Vale de Amoreira. Bastou meia hora durante a tarde. "As ruas ficaram obstruídas, cinco casas foram atingidas e três carros arrastados. Ainda não conseguimos estimar o prejuízo. A prioridade está a ser a limpeza", conta ao JN Nuno Gonçalves, presidente da Junta de Vale de Amoreira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG