Premium

Empresa multada por más refeições escolares serve no Parlamento

Empresa multada por más refeições escolares serve no Parlamento

Associação de pais queixou-se da má qualidade do serviço e da alimentação e autarquia exigiu medidas.

A Câmara da Batalha queixou-se e a tutela foi rápida a reagir. A empresa responsável pelo fornecimento das refeições à Escola Básica e Secundária local, que também trabalha na Assembleia da República, "vai ser multada" pelo Ministério da Educação, por "incumprimento" dos termos contratuais, anunciou ontem o presidente da autarquia, Paulo Batista Santos. Em causa está a alegada falta de comida, a qualidade dos alimentos e os atrasos sistemáticos na distribuição das refeições.

As primeiras queixas começaram a chegar ao Agrupamento de Escolas da Batalha através da Associação de Pais. Apontavam "diversas deficiências de base graves", nomeadamente ao nível da falta de pessoal, de formação e de espírito de equipa. "A situação é dramática e ainda se mantém. É de uma incompetência que não tenho memória de ver numa escola pública", descreveu Paulo Batista Santos ao JN, explicando que no início do ano letivo eram servidas cerca de 800 refeições, e que a sucessão de queixas dos alunos levaram os pais a dar-lhes dinheiro para comerem noutro lado. Neste momento, a empresa está a servir pouco mais de 400 refeições e, ainda assim, "as coisas não estão a funcionar".

ver mais vídeos