Saúde

Autarca de Caldas da Rainha "alarmado" com situação das urgências no hospital

Autarca de Caldas da Rainha "alarmado" com situação das urgências no hospital

O presidente da Câmara de Caldas da Rainha, Vítor Marques, está "muito preocupado" e "alarmado" com o estado dos cuidados de saúde no concelho, nomeadamente com a falta de médicos para assegurar as escalas da Urgência do hospital local. Este é, segundo o autarca, um problema que se "arrasta há longa data", que ganhou visibilidade com o caso ocorrido na semana passada, em que grávida perdeu o bebé por alegada falta de especialistas naquela unidade hospitalar.

Vítor Marques considera que este "lamentável incidente", que já motivou a abertura de um inquérito por parte da Inspeção-Geral de Atividades em Saúde (IGAS), é um caso "extremo" da falta de especialistas no Centro Hospitalar do Oeste (CHO), ao qual pertence o Hospital de Caldas da Rainha.

"Acontece com muita regularidade não haver médicos suficientes para preencher as escalas da urgência, que, nessas circunstâncias, funciona apenas para emergências. Tem acontecido demasiadas vezes", denuncia o autarca, reconhecendo a dificuldade do Conselho de Administração do CHO, com quem tem reunido, em encontrar soluções.

Para Vítor Marques, esta é uma questão que tem de ser resolvida a "nível superior", com medidas governamentais que deem às administrações hospitalares "maior margem de manobra" para resolver questões de "gestão e de organização", nomeadamente ao nível dos recursos humanos.

O autarca alerta ainda para as "graves lacunas" dos cuidados primários no concelho, com os centros de saúde a registarem uma "grande falta de médicos", o que acaba por criar complicações "acrescidas" no atendimento nas urgências.

"Isto é uma bola de neve. Se os centros de saúde não funcionam, sobra para as urgências, que não têm capacidade de resposta", afirma Vítor Marques, que aguarda "há dois meses" pela marcação de uma audiência com a secretária de Estado da Saúde. Face à ausência de resposta, foi já pedida uma reunião à ministra Marta Temido.

Para amanhã, terça-feira, está marcada uma reunião extraordinária da Assembleia Municipal de Caldas da Rainha, para debater o estado da saúde no concelho. Na sessão, agendada antes do caso ocorrido com a grávida que perdeu o bebé, serão também debatidos os resultados de um estudo feito pela Universidade Nova, que aponta o Bombarral como a melhor localização para a construção do novo hospital do Oeste.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG