Leiria

Paulo Félix: "Levo quem considero ser melhor, o que pode não ser consensual"

Foto Márcio Menino

O selecionador nacional de andebol de praia vê enorme potencial de crescimento da variante em Portugal. Fala da dificuldade da tarefa que tem em mãos e das perspetivas de futuro.

A época de pavilhão vai começar e, pela primeira vez em duas décadas, não vai orientar qualquer equipa. Qual foi a razão para se dedicar em exclusivo ao andebol de praia? "Neste momento, a praia está com muita atividade. Vamos estar presentes nos Jogos Olímpicos da Juventude, uma competição que será em outubro, mas toda a preparação será em setembro, pelo que não faria sentido estar a orientar uma equipa de pavilhão e passar dois meses fora. (...)

A entrevista completa em Jornal de Leiria