"SOS Ucrânia"

Leiria prepara operação logística para levar bens ao povo ucraniano

Leiria prepara operação logística para levar bens ao povo ucraniano

O Município de Leiria e a comunidade ucraniana no concelho estão a promover uma campanha de solidariedade, designada "SOS Ucrânia", através da recolha de produtos de higiene, roupa térmica, artigos de saúde e acessórios. Este domingo, às 20 horas, decorrerá uma vigília pela paz, na Praça Rodrigues Lobo.

O presidente da Câmara de Leiria, Gonçalo Lopes, revela ao JN que a prioridade é recolher artigos de saúde, pelo que estão a fazer contactos com diversas empresas, associações e instituições de saúde. "Se as conseguirmos mobilizar, podemos fazer algo inédito", acredita. De seguida, estabelece como objetivo recolher bens alimentares e artigos de higiene.

"Temos empresas de Leiria disponíveis para fazer o transporte", assegura o autarca. A mobilização para apoiar o povo ucraniano teve início ontem, após uma reunião no dia anterior, com a comunidade de ucranianos do concelho, onde compareceram cerca de 200 pessoas. A Autarquia criou ainda um gabinete de acompanhamento da crise na Ucrânia.

Embora não saiba precisar quando estarão reunidas condições para enviar os bens recolhidos para o povo ucraniano que resiste no país e para os cidadãos que se refugiaram nos países vizinhos, Gonçalo Lopes defende que "quanto mais depressa, melhor". Será a comunidade ucraniana a identificar as associações humanitárias a quem serão entregues os bens.

Para tal, a adesão da população será determinante. "Primeiro, temos de criar uma onda de solidariedade e uma corrente humanitária, onde vamos empenhar todas as energias, para que tenha sucesso", afirma o presidente da Câmara de Leiria. Garante ainda que será dado "total apoio à comunidade ucraniana, a nível social, económico e psicológico".

Além disso, o autarca garante que Leiria está preparada para acolher refugiados da Ucrânia e assegurar apoio na área da habitação, social, emprego, saúde e educação, nas próximas semanas. "Nesta fase, os ucranianos residentes em Leiria, se pudessem estariam todos na Ucrânia a combater. O foco deles é ajudar quem está a resistir e os refugiados que estão na Polónia."

PUB

Vigília pela paz

Em relação à vigília pela paz, que vai decorrer este domingo à noite, Gonçalo Lopes acredita que contará com a presença de "milhares de pessoas", não só de ucranianas, como portuguesas. "É capaz de ser um dos maiores momentos de concentração pós-pandemia", afirma. "A comunidade ucraniana está muito bem integrada, criou laços de amizade ao longo de décadas com os portugueses, pelo que é natural que venham muitas pessoas."

A vigília terá um momento de oração, cânticos e algumas intervenções sobre o difícil momento que o povo ucraniano se encontra a enfrentar, entre as quais do presidente da Câmara. A Praça Rodrigues Lobo terá voluntários da comunidade ucraniana a recolher bens e agentes da PSP a ordenar o trânsito. A Autarquia apela à população que deixe os automóveis em parques mais afastados do centro, para facilitar a circulação no centro da cidade.

Produtos necessários

Em relação aos produtos de higiene, é solicitada a oferta de desinfetantes, fraldas para crianças e para idosos e outros artigos. Tendo em conta as baixas temperaturas na Ucrânia, a Autarquia sugere ainda a doação de vestuário térmico, como mantas, cobertores, sacos-cama, calçado e vestuário.

A quem preferir contribuir com artigos de saúde, é proposta a entrega de medicamentos, kits de primeiros socorros, ligaduras, pensos, Betadine, soro fisiológico, seringas e luvas descartáveis. Por fim, o Município de Leiria propõe ainda a entrega de lanternas, powerbanks, pilhas e rádios.

Os pontos de recolha de bens são os quartéis de bombeiros de Leiria, Maceira, Ortigosa e Monte Redondo, o Estádio Municipal de Leiria, junto ao topo Norte (das 17 às 22 horas), e as Juntas e as Uniões de Freguesia do concelho. Gonçalo Lopes identifica o Estádio como o "quartel-general" das operações logísticas, que serão coordenadas pelo vereador da Proteção Civil. "Queremos ser uma referência para o resto do país."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG