País

Localização do posto de abastecimento e carregamento eléctrico de veículos contestado

Localização do posto de abastecimento e carregamento eléctrico de veículos contestado

O primeiro posto de abastecimento de combustíveis com possibilidade de carregamento rápido de automóveis eléctricos, na região do Oeste, está a ser construído em Óbidos, mas a oposição socialista contesta a localização devido à proximidade a uma escola.

"É um posto que integra o programa [do anterior governo] para a mobilidade eléctrica e que irá contar com quatro bombas de abastecimento de combustível e sete boxes de carregamento rápido de veículos", disse à Lusa Pedro Félix, vereador das obras particulares e loteamentos na Câmara de Óbidos.

O posto que, segundo o vereador "é o primeiro da região com carregador eléctrico", vai permitir à autarquia desactivar a actual bomba de gasolina e requalificar a entrada da vila, junto ao antigo quartel dos bombeiros.

"Quem chega a Óbidos, vindo da A8 (autoestrada 8), depara-se com uma entrada na vila pouco atractiva", explica o vereador, sustentando a "necessidade sentida pela autarquia de intervir naquele espaço público onde vai ser criada a Praça da Criatividade".

O novo posto de abastecimento está a ser construído entre a Rotunda da Memória e a Rotunda do Pingo Doce, uma localização contestada pela oposição socialista na Câmara de Óbidos devido à proximidade à Escola Josefa de Óbidos (com 3º ciclo e ensino secundário).

O vereador socialista José Machado questiona "a infeliz localização escolhida", não apenas pela "proximidade a uma escola e ao impacto visual que terá sobre a vila", mas também por considerar poder haver "grave violação do Plano Diretor Municipal".

No entendimento dos socialistas, a zona seria "destinada a equipamento escolar" e seria necessária "aprovação ministerial" para a utilização daquele espaço para outro tipo de equipamentos.

Pedro Félix discorda da interpretação e disse à Lusa que "aquele era precisamente o único local onde o PDM permitia a construção deste tipo de equipamentos".

De acordo com o vereador, "estão acauteladas todas as questões de segurança" para a construção do posto que conta com parecer positivo da Autoridade Nacional de Protecção Civil e que não necessita de parecer do Ministério da Indústria e Energia por "estar a ser construído junto a uma estrada municipal", desclassificada desde 1996, avança a agência Lusa.