Covid-19

Câmara de Alenquer suspende eventos programados para este mês

Câmara de Alenquer suspende eventos programados para este mês

A Câmara de Alenquer, no distrito de Lisboa, decidiu cancelar todos os eventos que tinha programado realizar durante este mês como medida preventiva contra a propagação do coronavírus Covid-19, foi anunciado esta quarta-feira em comunicado.

"De momento, e para a salvaguarda dos nossos munícipes, estão adiados todos os eventos de maior dimensão programados a curto prazo pela autarquia", é referido no comunicado.

Para este mês, estavam programadas a atividade "Vamos ao Teatro", com várias peças de teatro a serem encenadas em diferentes pontos do concelho, a Semana da Saúde e a Semana da Floresta, assim como a Festa da Primavera, na Merceana.

Segundo o município, "o cancelamento ou adiamento de eventos de massas não deve ser encarado com alarmismo, mas sim com a prudência e a responsabilidade que a todos se exige neste momento", lembrando que o impacto do surto "é elevado".

A autarquia informou que "está atenta à situação em tempo real e a implementar medidas que possam, de alguma forma, mitigar a propagação do vírus".

O município implementou o plano de contingência contra o novo coronavírus que, nesta fase, não contempla o encerramento de serviços, nomeadamente os de atendimento ao público.

"Não foram, para já, reportados casos suspeitos no concelho, nem existem indicadores que apontem para a necessidade de suspender os serviços e, por isso, estes vão manter-se até que surjam recomendações em contrário", explicou o presidente da câmara, Pedro Folgado, citado no comunicado.

PUB

Entre as medidas implementadas, consta a criação de uma sala de isolamento nos edifícios municipais e a garantia de stock de reserva de máscaras de proteção e luvas de látex.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4200 mortos.

Cerca de 117 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 63 mil recuperaram.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se o caso mais grave de epidemia fora da China, com 631 mortos e mais de 10.100 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

A quarentena imposta pelo governo italiano ao Norte do país foi alargada a toda a Itália.

O Governo português decidiu suspender todos os voos com destino ou origem nas zonas mais afetadas em Itália, recomendando também a suspensão de eventos em espaços abertos com mais de 5000 pessoas.

Portugal regista 41 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

A DGS comunicou também que em Portugal se atingiu um total de 375 casos suspeitos desde o início da epidemia, 83 dos quais ainda a aguardar resultados laboratoriais.

Segundo a DGS, há ainda 667 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte, até agora a mais afetada.

Foram também encerrados alguns estabelecimentos de ensino, sobretudo no Norte do País, assim como ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas.

Os residentes nos concelhos de Felgueiras e Lousada, no distrito do Porto, foram aconselhados a evitar deslocações desnecessárias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG