Azambuja

Herdade da Torre Bela repudia montaria "abusiva" a que diz ser "alheia"

Herdade da Torre Bela repudia montaria "abusiva" a que diz ser "alheia"

A Herdade da Torre Bela, na Azambuja, garante em comunicado que só teve conhecimento da matança de 540 animais numa montaria que decorreu na sua propriedade "a posteriori através da comunicação social".

"A Herdade da Torre Bela repudia firmemente a forma errada, ilegítima e abusiva como decorreu uma montaria na sua propriedade, no passado dia 17 de dezembro, tendo tido conhecimento do sucedido a posteriori e apenas através da comunicação social", lê-se num comunicado dos proprietários divulgado esta quinta-feira, no qual sublinham que é um "lamentável abuso, a que a Herdade da Torre Bela é alheia".

Em causa, uma montaria realizada na Torre Bela, na Azambuja, com a participação de 16 caçadores espanhóis e que culminou na morte de 540 animais, incluindo veados e javalis. A organização foi de uma empresa que chegou a publicar imagens do evento com os caçadores a posar ao lado dos animais mortos com legendas como: "Conseguimos de novo!!! 540 animais com 16 caçadores em Portugal. Super Recorde da Monteria". Registos digitais que foram entretanto apagados.

A Herdade da Torre Bela adianta que "está, desde o primeiro momento, a colaborar de forma estreita e permanente com as autoridades competentes com vista ao cabal esclarecimento do ocorrido e ao total apuramento de responsabilidades".

Pretende ainda "adotar as medidas judiciais adequadas, para ser ressarcida de todos os prejuízos provocados por este lamentável acontecimento".

PUB

Os proprietários asseguram que a Torre Bela "não era a entidade exploradora da referida caçada nem organizou ou nela participou, direta ou indiretamente, e por isso, não tem qualquer responsabilidade no sucedido".

Sobre a morte de 540 animais, consideram que "é inequívoco que o grupo de caçadores excedeu em larga medida os direitos de caça adquiridos, ultrapassando os limites acordados com a entidade exploradora".

"A ocorrência deste lamentável abuso, a que a Herdade da Torre Bela é alheia, não tem nenhuma correlação com qualquer outra atividade da Herdade ou dos seus proprietários", conclui o comunicado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG