Azambuja

População revoltada: "Deviam apanhar um ano de prisão por cada animal que mataram"

População revoltada: "Deviam apanhar um ano de prisão por cada animal que mataram"

A população que reside nas imediações da Quinta da Torre Bela, em Aveiras de Cima, está revoltada com a caçada de 540 animais numa montaria. "Ouviram-se tiros durante três dias".

Os residentes da vila de Manique do Intendente, freguesia da Azambuja, onde se situa a Quinta da Torre Bela, estão chocados e revoltados com a matança de 540 animais, entre javalis e veados, no passado fim de semana.

"Deviam apanhar um ano [de prisão] por cada animal que mataram", atirou Sílvia Vieira ao JN.

No café "Pão Nosso de Cada Dia" o polémico abate dos animais era esta terça-feira de manhã o tema de conversa. Amélia Firmino contou que "cortaram as árvores há algum tempo para os animais terem menos onde se esconder".

É "um absurdo" o que aconteceu e "até os caçadores da terra estão contra", garante Amélia Firmino do café "Palácio".

"Ouviram-se tiros durante três dias", recorda Celeste Gaspar, que vende fruta na estrada, junto à Quinta da Torre Bela. "É um apena, porque vinham muitas pessoas, avós e netos, aqui junto ao muro para verem os animais".

PUB

Luís de Sousa, presidente da Câmara da Azambuja, disse ao JN que contactou na segunda-feira o proprietário da quinta e que ao fim da tarde recebeu um email da mulher a confirmar a montaria que resultou na morte de centenas de animais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG