Lisboa

Atriz Susana Werner é mais uma das feridas das bicicletas da capital

Atriz Susana Werner é mais uma das feridas das bicicletas da capital

A atriz brasileira Susana Werner foi a mais recente vítima da Gira, a bicicleta elétrica disponibilizada na capital pela EMEL (Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa). A mulher do ex-guarda-redes do Benfica, Júlio César, e empresária em Lisboa, fez uma luxação num pé e denunciou a situação no Instagram Stories após uma ida ao hospital.

Susana Werner partilhou, esta quinta-feira, uma notícia do JN, "Há já cerca de 40 feridos em acidentes causados por travões das GIRA", para referir que com ela passaram a ser 41 as vítimas do sistema de travagem das bicicletas.

Ao JN fonte próxima da agora empresária, proprietária da boutique Queens Life, em Lisboa, indicou que o incidente ocorreu ontem, quarta-feira. Werner terá sofrido uma luxação no pé, que a obrigou a hospitalização.

A atriz tinha colocado uma outra foto no Instagram, a 28 de maio, em cima de uma Gira. "Odeio academia e adoro doce, ou seja, toda errada!!! Pelo menos essas bicicletas vão me ajudar a ganhar resistência e ânimo pra voltar a malhar ainda este ano kkk tá difícil!", legendou então tal foto.

Na origem do problema das Giras elétricas, está um sistema de travagem estrangeiro, instalado na bicicleta de fabrico português, e que bloqueia as rodas quando é feita uma travagem mais profunda, projetando os utilizadores para o asfalto.

Há um mês, o JN questionou o fabricante Órbita e a EMEL sobre estes incidentes, mas nenhuma das duas entidades respondeu até hoje às questões. Porém, cerca de uma semana depois da saída da notícia, dezenas de bicicletas elétricas foram recolhidas para um armazém de manutenção, em Cabo Ruivo (Lisboa), tendo na altura os utilizadores sentido que o número de Giras tinha diminuído consideravelmente.

Susana Werner chegou a Lisboa, em 2014, quando Júlio César se mudou para o Benfica, e vive na capital desde então.