Lisboa

Avenida 24 de Julho reduzida a duas faixas

Avenida 24 de Julho reduzida a duas faixas

A Avenida 24 de Julho, em Lisboa, verá reduzido substancialmente o número de faixas de rodagem em ambos os sentidos, de acordo com a versão final do Plano de Urbanização de Alcântara, que a Câmara de Lisboa poderá aprovar amanhã, quarta-feira, em reunião do executivo.

Segundo o vereador do Urbanismo, Manuel Salgado, a intenção é afastar do centro da cidade a quantidade de veículos que provêm da linha de Cascais. "Temos como política ter menos carros em Lisboa. Ao contrário do que aconteceu durante décadas, em que Lisboa foi sacrificada, trazendo-se mais carros", alegou, esta terça-feira, Salgado, à margem da Assembleia Municipal de Lisboa.

A diminuição será colmatada - acrescentou - com uma intervenção num dos pontos distribuidores de trânsito mais complicado em Lisboa. "De modo a que os automobilistas tenham alternativa, haverá uma intervenção em Algés (viaduto), que permitirá desviar o trânsito para a CRIL (Circular Regional Interior de Lisboa)", explicou, salientando que aquele reperfilamento se insere também nos planos de pormenor do Aterro da Boavista Nascente e Poente.

Actualmente, aquela que é uma das maiores e mais movimentada avenida da capital - pela enorme quantidade de estabelecimentos de diversão nocturna -, passará a ter só duas faixas de rodagem em cada sentido, entre o Cais de Sodré e Alcântara.

Neste momento, aquela via conta não só com três faixas em cada sentido, como outras duas paralelas; onde, de um lado, passam os transportes públicos, e, do outro, há estacionamento da EMEL (Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa) e os vários acessos aos bairros da Madragoa e Alcântara.

As alterações passam por criar mais espaços verdes e passeios alargados na 24 de Julho. Contudo, alertou Salgado, a agilização do plano que irá ser votado amanhã dependerá, quer da iniciativa privada, quer dos condicionalismos financeiros do município.

O Plano de Urbanização de Alcântara trata-se de uma nova versão do mesmo, após as várias sugestões - e também contestações - que surgiram com o primeiro documento. O vereador do Urbanismo garantiu que, ao contrário do que era previsto, os armazéns da antiga Companhia de Fiação e Tecidos Lisbonenses, em Alcântara, onde está agora instalado o projecto LxFactory (conjunto de bares, lojas e ateliers), se manterão com as mesmas funções.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG