Contestação

Apanhar pombos com rede: Câmara de Lisboa acusada de barbaridade

Apanhar pombos com rede: Câmara de Lisboa acusada de barbaridade

Associação critica método "inaceitável" do município de Lisboa para transferir aves.

Atraem pombos com milho e, quando estes estão a comer, usam uma máquina que dispara uma rede, imobilizando os animais. A prática da equipa de Higiene Urbana da Câmara de Lisboa foi registada em vídeo por uma moradora e divulgada nas redes sociais pela Animal Save and Care Portugal, que considera a técnica "bárbara". "É inaceitável que a Câmara continue a promover capturas em série", lamenta. O grupo municipal do PAN diz que as imagens do filme são "chocantes" e "não se coadunam com uma sociedade evoluída".

No vídeo, captado na Praça das Flores, em Lisboa, é possível ver os funcionários da Câmara de Lisboa, acompanhados por um agente da polícia municipal, a capturar os pombos. A responsável pela filmagem começa a falar com o agente, que explica que estão a fazer "um tratamento de pragas" e que os pombos serão soltos noutro local longe da cidade de forma "a não voltarem para aqui". Apesar de no filme ser visível a tentativa dos animais se soltarem, o polícia garante que "está tudo bem tratado, aqui ninguém sofre".

"Mortos por envenenamento"

Noel Santos, da Animal Save and Care Portugal, não concorda. "Como qualquer animal senciente, têm consciência do que está a acontecer, o sofrimento começa logo quando são envolvidos na rede. É possível ver a aflição e o stress que lhes causa", explica. A associação repugna mesmo a conduta do município. "É inaceitável que a Câmara de Lisboa insista em classificar os pombos como pragas, procedendo ao seu extermínio, e continuarmos em silêncio perante o massacre permanente que este vídeo regista".

A organização defensora dos animais diz ainda que tem conhecimento de vários pombos que foram mortos "por envenenamento e gaseamento" após a captura e que gostava de obter mais esclarecimentos sobre estes dados, mas estes teimam em não chegar. "A Câmara nunca nos responde", lamenta Noel Santos.

O grupo municipal do PAN, que já enviou dezenas de requerimentos sobre o assunto à Autarquia, denunciou este ano que 7420 pombos desapareceram da cidade num ano. O partido propôs o fim das capturas e que os pombos não fossem mais designados como pragas, mas ambas as propostas foram chumbadas. "Continuaremos a insistir e a fazer tudo para colocar um ponto final a esta prática", promete o PAN.

PUB

O JN questionou ontem a Câmara de Lisboa, mas não obteve resposta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG