Vaga de frio

Câmara de Lisboa preparada para resposta imediata a 60 sem-abrigo

Câmara de Lisboa preparada para resposta imediata a 60 sem-abrigo

A Câmara de Lisboa está preparada para dar resposta imediata a 60 sem-abrigo em pavilhões da cidade e já acionou o Plano Municipal de Contingência devido ao frio, disse à agência Lusa o vereador dos Direitos Sociais.

"Este plano de contingência foi decidido ontem [segunda-feira], a partir da informação do IPMA [Instituto Português do Mar e da Atmosfera] de que teríamos um conjunto de dias com temperaturas muitíssimo baixas durante a noite. De ontem [segunda-feira] para hoje montámos este dispositivo, com a proteção civil e os nossos parceiros", referiu Manuel Grilo (BE, partido que tem um acordo de governação da cidade com o PS).

O autarca explicou que foi montado um espaço de acolhimento no mercado de Santa Clara, junto à Feira da Ladra, onde as pessoas em situação de sem-abrigo poderão ter uma primeira avaliação no domínio da saúde, como a medição corporal, e ter uma refeição quente. "A partir desse primeiro equipamento as pessoas serão encaminhadas para um abrigo, onde poderão dormir e tomar o pequeno almoço no dia seguinte", apontou.

Manuel Grilo referiu ainda que foram sinalizadas 20 vagas no pavilhão do Casal Vistoso e noutros centros e que, esgotadas essas vagas, poderão ser utilizadas mais 40 camas no pavilhão da Graça. "Teremos outros equipamentos disponíveis para mobilizar assim que necessário. Encontraremos respostas para todos aqueles que queiram dormir com mais conforto", assegurou.

O autarca adiantou ainda que, no âmbito deste plano, a Câmara de Lisboa articulou com o Metropolitano a possibilidade de as estações de metro do Rossio (acesso nascente), Santa Apolónia (átrio superior - porta usualmente aberta durante a exploração) e Oriente (acesso oposto ao Centro Comercial Vasco da Gama) permanecerem abertas durante a noite.

Entretanto, em comunicado, o Metropolitano de Lisboa confirmou que estas três estações de metro irão permanecer abertas durante a noite, adiantando que a Câmara de Lisboa e a Cruz Vermelha fornecerão sacos cama para pernoita naquelas instalações.

PUB

A Proteção Civil emitiu hoje um aviso à população devido à previsão de frio, chuva e vento, recomendando à população que tome medidas de prevenção e dê especial atenção ao uso de equipamentos de combustão.

O aviso à população da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) tem por base informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que prevê para hoje e para quarta-feira tempo frio, com temperaturas mínimas a variar entre os -4ºC e os 8ºC e as máximas entre os 5ºC e os 17ºC, e vento que pode ser forte nas terras altas.

A ANEPC destaca também a necessidade de especial atenção aos grupos populacionais mais vulneráveis, crianças, idosos e pessoas portadoras de patologias crónicas e população sem-abrigo.

Face à situação meteorológica, a ANEPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações.

Nesse sentido, aconselha que se evite a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura, a manter o corpo quente, através do uso de várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente, proteger as extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol) e calçado quente e antiderrapante e ingestão de sopas e bebidas quentes, evitando o álcool que proporciona uma falsa sensação de calor.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG