Lisboa

Câmara de Lisboa vistoria arvoredo da Alameda após queda de árvore

Câmara de Lisboa vistoria arvoredo da Alameda após queda de árvore

Autarquia de Lisboa diz que não havia sinais visíveis de perigo. PAN e Plataforma de Defesa das Árvores pedem mais monitorização

A Câmara de Lisboa vai fazer uma vistoria às árvores da Alameda Dom Afonso Henriques para perceber se correm o risco de queda depois de uma árvore ter tombado sobre o passeio naquela avenida há duas semanas.

Aparentemente a raiz estava podre, mas as causas da rutura do tronco da planta ainda não são conhecidas. Sem sinais de perigo visíveis, não foi possível à Junta de Freguesia do Areeiro nem à Câmara prevenir o incidente. A Plataforma de Defesa das Árvores e o PAN pedem mais monitorização do arvoredo.

Quando a árvore caiu, no passado dia 24 de abril, uma semana antes da Alameda se encher de gente para a celebração do 1 de Maio, ninguém circulava ali "por sorte".

"Poderia ter acontecido um acidente, magoado ou provocado a morte de pessoas ou animais", alerta a deputada municipal do PAN Inês Sousa Real. A deputada considera que a queda é "sintomática do problema da má gestão do arvoredo do que há na cidade" e que é necessária "uma política de prevenção".

"A monitorização das condições em que o arvoredo se encontra, feita pela Câmara, deveria ser mais frequente para se poder analisar o estado fitossanitário das árvores. Parece-nos que só existe um objetivo de análise fitossanitária do arvoredo quando a intenção é abatê-lo", diz.

Sousa Real nota ainda que o PAN apresentou uma proposta na Assembleia da República para a criação de um regime jurídico específico para a proteção do arvoredo."Esperemos conseguir brevemente ter um quadro jurídico que venha pôr algumas regras ao desnorte que tem sido a gestão do arvoredo em Lisboa e noutras cidades. De norte a sul do país chegam-nos queixas na forma como os autarcas tratam as árvores", revela.

PUB

Rosa Casimiro, da Plataforma em Defesa das Árvores, lembra que "as árvores são agredidas constantemente e intervencionadas por pessoas que não fazem uma avaliação técnica".

"Exigem mais manutenção, devia ser feita uma monitorização pelo menos uma vez por ano", considera.

"VISTORIAS REGULARES"

A Câmara garante que "executa vistorias regulares ao arvoredo" e que "por uma questão de despiste" vai fazer uma vistoria a todo o arvoredo da Alameda para verificar "se existem sintomas ou sinais que possam indiciar perigo de rotura". A Autarquia admite que se percebe que existe podridão na raiz da árvore e aguarda agora os resultados da análise que o Laboratório de Patologia Vegetal do Instituto Superior de Agronomia (LPVVA) está a fazer a amostras da árvore que caiu. O relatório fitossanitário deverá estar concluído na quarta-feira, 12 de maio, confirmou o LPVVA ao JN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG