PSP

Ciclista agredido em Lisboa procura testemunhas

Ciclista agredido em Lisboa procura testemunhas

Homem queixa-se de ter sido vítima de uma agressão, na manhã desta quarta-feira, na Avenida de Roma, em Lisboa, depois de ter chamado uma condutora à atenção devido a uma manobra perigosa. ​​​​

Um ciclista que alega ter sido agredido, na manhã desta quarta-feira, cerca das 9 horas, após uma altercação no trânsito, em Lisboa, está à procura de testemunhas que possam ter assistido ao episódio.

Enquanto a mulher ganha prática de andar de bicicleta sozinha no trânsito, Carlos Pacheco, todas as manhãs, tem feito questão de a acompanhar até ao local de trabalho. Vai cada um no seu velocípede. "Hoje, de manhã, na Avenida de Roma, uma condutora que seguia na faixa da direita, atrás de nós, não só buzina como depois nos ultrapassa à tangente", relata o ciclista.

Carlos Pacheco conta que, "50 metros à frente", ao encontrar a mesma condutora parada num semáforo, lhe bateu no vidro, "para lhe dizer que teve uma atitude errada e que podia causar um acidente".

"Nem tive tempo de dizer alguma coisa, porque o marido, que ia no lugar do morto, saiu do carro e começou a agredir-me à chapada e ao soco", explica o ciclista, que ficou com os óculos partidos e com "uma luxação no ombro esquerdo, além de uma pequena fratura, segundo o Hospital de Santa Maria". As lesões, diz, vão obriga-lo "a estar três semanas com o braço imobilizado e sem poder trabalhar".

"Procuro qualquer testemunha que tenha presenciado isto hoje, na Avenida de Roma, em frente ao número 23", apela Carlos Pacheco, adiantando que a PSP tomou conta da ocorrência e que, nos próximos dias, vai apresentar queixa contra o agressor.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG