Mobilidade

EMEL volta a cobrar estacionamento em Lisboa

EMEL volta a cobrar estacionamento em Lisboa

A Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento (EMEL) vai voltar a cobrar o estacionamento, em Lisboa, a partir da próxima segunda-feira, 11 de maio. Mas há exceções.

Os residentes com dístico válido poderão continuar a estacionar gratuitamente até 30 de junho nos parques da EMEL, assim como as equipas de saúde do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Devido à pandemia da covid-19, a EMEL suspendeu, a 16 de março, os pagamentos de parquímetros, durante a semana e todo o dia durante os fins de semana e feriados.

A EMEL apresentou, ao final da manhã desta quinta-feira, um conjunto de medidas tomadas no seguimento do fim de estado de emergência devido à pandemia da covid-19. Entre estas, a empresa avança que, até dezembro, as equipas de saúde das unidades do SNS "mais diretamente envolvidas no combate à pandemia" poderão continuar a estacionar gratuitamente nos parques de estacionamento da EMEL, em parques concessionados pela Câmara de Lisboa ou na via pública.

Os elevadores públicos a cargo da EMEL serão também reabertos, "com limpezas diárias". As bicicletas Gira, informa, vão manter-se gratuitas para os profissionais de saúde e as medidas de desinfeção do sistema de bicicletas partilhadas Gira também se vão manter "recomendando-se o estrito cumprimento das regras de higiene individual".

A empresa municipal diz ainda que está a criar um processo interno "com vista a processar com urgência pedidos de dísticos novos, como forma de resposta aos residentes que possam não ter solicitado o dístico, até ao momento e que estejam interessados em fazê-lo, estando o atendimento disponível do site da EMEL, no separador "Dísticos" -> "Dísticos de Residentes". O atendimento presencial volta a estar disponível no dia 1 de junho.

A EMEL decidiu também manter a extensão automática de todos os dísticos atribuídos até junho de 2020, ou até junho de 2021 para os dísticos renovados a partir de 1 de março.