Lisboa

Estudo de Mega Ferreira continua rodeado de secretismo

Estudo de Mega Ferreira continua rodeado de secretismo

O PSD e o CDS-PP acusaram, esta quarta-feira, a vereadora da Cultura de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, de esconder um estudo alegadamente elaborado por Mega Ferreira e pelo qual o município pagou 19 mil euros.

"Pela décima vez" - palavras do vereador do PSD, Vitor Gonçalves -, Catarina Vaz Pinto foi confrontada em reunião de Câmara quanto à ausência do relatório encomendado ao escritor, meses depois deste ter abandonado a presidência do Centro Cultural de Belém.

"O estudo secreto do dr. Mega Ferreira já é um 'mega mistério'. Temos de vir com uma candeia para que ele surja aqui na reunião", ironizou o vereador centrista António Carlos Monteiro.

Já Vitor Gonçalves questionou "se é assim uma coisa tão secreta". "Não podemos considerar que o estudo seja um documento interno, porque é uma encomenda", prosseguiu, tendo em conta que desde novembro que Vaz Pinto alega que se trata de um documento interno dos serviços, complementar ao trabalho que tem sido elaborado sobre os espaços museológicos.

Mega Ferreira recebeu 19 mil euros para estudar em três meses os museus da cidade e entregar o resultado até ao final de outubro de 2012. A vereadora da Cultura alegou então que o escritor era "um especialista devidamente habilitado" para o efeito.

Porém, a polémica surgiu perante o facto de há vários anos o município ter análises realizadas pelos próprios técnicos dos serviços, mas que têm caído perante a incapacidade financeira do pelouro da Cultura.

Apesar das insistentes questões, Vaz Pinto não respondeu a nada.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG