Lisboa

Homenagem a vítimas da Segunda Circular pára trânsito sem autorização

Homenagem a vítimas da Segunda Circular pára trânsito sem autorização

Cerca de duas centenas de pessoas, familiares e amigas das três vítimas mortais do acidente com um veículo a alta velocidade na Segunda Circular, em Lisboa, decidiram sem autorização das autoridades parar o trânsito nesta via, ao início da madrugada deste domingo, no mesmo local onde os homens perderam a vida.

A ação provocou três quilómetros de trânsito, no sentido Aeroporto-Benfica durante mais de meia hora. As autoridades não tinham sido informadas. A faixa da esquerda, junto ao separador, ficou depois intransitável para limpeza durante mais de uma hora.

Apesar de o local ser paredes-meias com o aeroporto, com grandes limitações do uso dos espaços de servidão aérea, o grupo não se coibiu de libertar várias dezenas de balões brancos com luzes 'leds' dentro deles.

O JN apurou que as autoridades não foram informadas, tendo sido enviadas para o local já oito carros da Policia Municipal e PSP, que terão sido obrigados a entrar na Segunda Circular pela saída no Campo Grande, em contramão, para conseguir regular o trânsito.

Do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP ainda não foi possível obter uma explicação para o cenário. Apenas foi referido, quando já passavam quase duas horas sobre o incidente, que a circulação estava restabelecida e a via limpa.

Ao JN, fontes do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa adiantou que foram ativados para o local alguns veículos para proceder à limpeza da via, tendo em conta que o piso junto ao separador central - onde se deu o acidente que matou os três homens - terá ficado com resíduos de óleo devido ao evento.

Testemunhas que ficaram retidas nos veículos relataram que houve muitos jovens no local, que chegaram em cerca de 30 motos, e muitas outras pessoas, que chegaram a pé através das entradas na Segunda Circular. "Um dos jovens esteve algum tempo, em cima de um carro, com dois capacetes, um cada mão, a apontar para o céu, como se de uma cerimonial espiritual se tratasse", explicou, ao JN, Nuno Monteiro.

Os familiares e amigos das vítimas terão começado a chegar ao local pelas 00.10 horas. Relembre-se que o acidente mortal ocorreu pelas 00.40 horas de sexta-feira.

Esta foi uma homenagem às três vítimas mortais - Nuno, Tino e Júnior Costa - que na madrugada de sexta-feira embateram a grande velocidade contra dois postes nesta via, no sentido aeroporto - Benfica.

Nuno Martins, 22 anos, e Tino Sousa, 34 anos e pai de dois filhos, viviam no bairro da Quinta do Loureiro, em Alcântara, em Lisboa. Júnior Costa, que também teve morte imediata, vivia no Bairro 6 de Maio, na Amadora, e tinha um filho.

As vítimas seguiam na viatura ligeira que chegou a seguir a 300 quilómetros por hora. O veículo capotou e embateu num poste de iluminação, que acabou por invadir as vias do sentido contrário (Benfica-Aeroporto), danificando um pórtico de painéis direcionais, que teve de ser removido.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG