Lisboa

Hospital do Desterro poderá vir a acolher eventos culturais

Hospital do Desterro poderá vir a acolher eventos culturais

O antigo Hospital do Desterro, em Lisboa, pode transformar-se num espaço de eventos culturais, existindo já uma proposta de negócio neste sentido, segundo a empresa pública que detém o imóvel.

Desativado progressivamente desde 2006, o Hospital do Desterro foi vendido à Estamo, empresa pública que gere o património imobiliário do Estado, por 9,24 milhões de euros.

Fonte oficial da Estamo confirmou à agência Lusa que há uma proposta da empresa que gere o espaço LX Factory para a sua "exploração, para a realização de eventos culturais".

A proposta não é para adquirir o imóvel - à venda por 9,5 milhões de euros -, mas sim para a exploração do espaço. "Enquanto o referido imóvel está em fase de promoção imobiliária, e visando rentabilizá-lo, a Estamo está disponível para dialogar com a referida empresa, aguardando uma proposta concreta por parte dela", adiantou a mesma fonte.

A agência Lusa contactou a empresa que gere a LX Factory sobre esta proposta, mas, até ao momento, não obteve qualquer resposta.

A própria Estamo assume que o seu objetivo não é apenas que os imóveis que tem em carteira sejam comprados, mas sim rendibilizá-los, "através da sua venda ou, enquanto permaneçam na sua posse, por qualquer outra forma".

Uma das formas com que a Estamo está a rendibilizar o antigo Hospital do Desterro, é o aluguer do seu espaço exterior para estacionamento, o que a Lusa confirmou no local.

PUB

Os clientes preferenciais deste aluguer são profissionais de outros hospitais do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC), ao qual o Desterro pertence. Mas qualquer cidadão pode alugar mensalmente um lugar para o seu carro, por 70 euros.

A degradação do imóvel é visível, sendo poucos os sinais de que se tratou de um hospital de referência em Lisboa, nomeadamente na área da urologia e dermatologia. Em algumas paredes exteriores é ainda possível observar placas informativas de unidades hospitalares, como o laboratório ou o serviço de dermatologia.

Além do Desterro, a Estamo adquiriu também os hospitais de São José, Santa Marta e Capuchos, ainda em funcionamento e até ao momento sem pagar renda.

Também o Hospital Miguel Bombarda, entretanto desativado, foi comprado pela Estamo por 24,9 milhões de euros e encontra-se à venda.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG