Lisboa

Cristas propõe habitação com rendas moderadas nos terrenos da Feira Popular

Assunção Cristas, líder do CDS-PP

Foto Paulo Cunha/lusa

Assunção Cristas propõe afetar grande parte (cerca de 70%) dos terrenos da antiga Feira Popular, em Entrecampos, no centro de Lisboa, à construção de habitações para arrendamento a preços moderados. O CDS-PP quer ainda que a Câmara identifique todos os terrenos municipais desocupados, para possível afetação à construção de habitação.

A proposta da líder do CDS-PP foi divulgada, esta sexta-feira, por ocasião dos seis meses de mandato como vereadora na Câmara Municipal de Lisboa.

Quatro anos após o regresso à esfera jurídica da Autarquia dos terrenos da antiga Feira Popular, em Entrecampos, o CDS-PP propõe agora que se inicie um procedimento de delimitação de uma Unidade de Execução para os referidos "na qual o uso habitacional (uso predominante) ocupe 70% da superfície total de pavimento e os demais usos (usos não predominantes) ocupem os restantes 30%".

Na proposta, apresentada por Assunção Cristas, sugere-se a "realização de operações urbanísticas que visem a construção de habitações, em regime de propriedade horizontal, com padrão de qualidade e conforto equivalente ao da envolvente, tendo como prioridade tipologias adequadas a agregados familiares constituídos por quatro ou mais elementos (T3 e T4), e garantir que essas habitações serão futuramente arrendadas, a preços moderados, por via de concurso que considere o rendimento e a dimensão dos agregados familiares dos candidatos".

No domínio da habitação, uma das prioridades do CDS-PP, os centristas propõem ainda à Câmara Municipal de Lisboa, a elaboração, no prazo de seis meses, de um relatório que "identifique todos os terrenos municipais desocupados e que pondere a viabilidade da sua afetação à construção de habitações para arrendamento a preços moderados". O documento deve depois ser avaliado e debatido em reunião da CML, segundo a vereação popular.

Relacionadas