simulacro

Simulacro de incêndio em navio testa capacidades de reacção ao largo de Cacilhas

Simulacro de incêndio em navio testa capacidades de reacção ao largo de Cacilhas

Um incêndio num navio ao largo de Cacilhas obrigou hoje, sábado, à retirada dos passageiros que faziam a viagem entre Lisboa e a margem Sul, um exercício planeado pelos bombeiros para testar capacidades de reacção.

"Quisemos testar os meios operacionais e o plano de emergência da Transtejo, bem como os procedimentos de emergência dos funcionários da empresa. Além disso o exercício visou coordenar a ligação entre as várias entidades e autoridades no caso de sinistro num navio", explicou à Lusa o comandante dos Bombeiros de Cacilhas, Miguel Silva.

Do "incidente" desta manhã, de acordo com o comandante dos bombeiros, resultaram 11 vítimas, duas delas politraumatizadas e uma intoxicada por inalação de fumos.

A quantidade de fumo acumulada no interior do navio obrigou ainda à retirada dos restantes passageiros.

Na operação estiveram envolvidos 40 homens e dez veículos, entre carros de bombeiros e ambulâncias.

O saldo do simulacro é positivo. "Correu bem, mas há sempre erros a corrigir. É para isso que fazemos os exercícios: corrigir os erros e a coordenação entre as diversas entidades", referiu Miguel Silva.

A simulação do incêndio na coberta inferior de um cacilheiro, que atraiu alguns curiosos que àquela hora passavam na estação fluvial de Cacilhas, decorreu no âmbito das comemorações do 120.º aniversário da corporação.

ver mais vídeos