Lisboa

"Mais descansados" para o Natal com dose de reforço à vacina Janssen

"Mais descansados" para o Natal com dose de reforço à vacina Janssen

Centenas passaram pelo Pavilhão 4 da Feira Internacional de Lisboa, esta manhã de domingo, para tomarem a dose de reforço da vacina contra a covid-19. Vários disseram sentirem-se mais "tranquilos" e "menos preocupados" com os festejos natalícios após a administração da vacina.

A vacinação para a população com mais de 50 anos a quem foi administrada a vacina de toma única da Janssen contra a covid-19 arrancou este domingo. Em Lisboa, à saída do centro de vacinação, José Boavida, 60 anos, sentia-se "menos preocupado". "Só tinha dado a toma única da Janssen e fico mais tranquilo ao dar esta dose de reforço antes do Natal. Somos poucos, mas ainda somos dez na noite de Natal", disse o morador em Campo de Ourique que utilizou os táxis que a Câmara de Lisboa disponibilizou gratuitamente para quem precise de se deslocar ao centro de vacinação.

Fernanda Boavida, 59 anos, também estava "mais tranquila". "Tinha tomado a vacina da Janssen e li que era menos eficaz, por isso foi bom ter esta possibilidade hoje", partilhou a mulher de José que ao contrário do marido não foi convocada por SMS pelas autoridades de saúde e decidiu aproveitar o regime de "Casa Aberta". José Cotrim, 65 anos, também não se sentia seguro apenas com a toma única da Janssen. "A minha mulher teve covid-19 depois de dar a Janssen", conta.

Sem filas, muitos também elogiaram a celeridade do processo de vacinação. "Foi bastante rápido, cerca de cinco minutos mais o tempo de recobro", disse Jorge Sousa, 61 anos, agora "menos preocupado". "A nova variante ómicron preocupa-me e acredito que agora estarei mais protegido".

Manuel Falcão, 67 anos, deu as duas primeiras doses da vacina em Angola e aproveitou agora uma passagem por Portugal para dar a terceira. "Soube que era "casa aberta" e vim. Quanto mais doses de reforço dermos mais protegidos estamos e mesmo assim nunca se sabe".

A localização do novo centro de Lisboa e o fecho de outros três no centro da cidade não preocupa a maioria dos utentes, que utilizaram os táxis gratuitos da Câmara de Lisboa, tirando algumas exceções. "Nunca deviam ter fechado os outros, é muito mau estar tão longe", considerou Carlos Melo, 60 anos, que foi convocado para esta dose de reforço.

"Levei a Janssen na primeira dose e preferia ter levado a Moderna porque é mais eficaz. Foi excelente esta oportunidade. Já não tenho as mesmas defesas do sistema imunitário e sinto-me muito mais tranquilo para festejar o Natal".

PUB

José Santos, 61 anos, preocupado com a nova variante ómicron partilhava o mesmo. "Trabalho num sítio onde andam todos sem máscara. Estou mais descansado com esta dose e o centro de vacinação é grande e tem melhores condições que os outros", considerou.

Este domingo foi o primeiro de quatro dias previstos - serão convocados ainda nos próximos dias 8, 12 e 19 de dezembro - da dose de reforço aos maiores de 50 anos vacinados com Janssen. Hoje também houve regime de "casa aberta" para maiores de 75 anos em todo o país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG