Lisboa

Mário Mendes ferido em acidente aparatoso

Mário Mendes ferido em acidente aparatoso

Mário Mendes, secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, e o intendente Paulo Lucas, secretário-geral adjunto, ficaram ontem feridos num aparatoso acidente na Avenida da Liberdade, em Lisboa, que feriu mais duas pessoas. Estão todos internados.

O acidente ocorreu pouco depois das 16.30 horas no cruzamento da Avenida da Liberdade com a Rua das Pretas, quando os dois responsáveis se dirigiam para a tomada de posse dos governadores civis, cerimónia que estava prestes a decorrer no Ministério da Administração Interna, no Terreiro do Paço. Ao que o JN apurou, o Audi A4 em que Mário Mendes e Paulo Lucas eram transportados seguia com os pirilampos azuis ligados, assinalando marcha de emergência, e terá passado um sinal vermelho, acabando por ser colhido por um veículo da Assembleia da República, que cruzava a avenida vindo da Rua das Pretas, com o sinal verde.

O carro em causa é o BMW habitualmente utilizado pelo presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, mas naquele momento apenas o condutor seguia na viatura. Apesar dos danos, sofreu apenas ferimentos ligeiros.

O embate foi de enorme violência. O Audi A4 - onde, no banco de trás, seguiam Mário Mendes, sentado à direita, e Paulo Lucas, à esquerda, e, à frente, um elemento do Corpo de Segurança Pessoal da PSP e, ao volante, um condutor da GNR - foi atingido lateralmente e projectado contra uma placa publicitária, acabando por derrubar os semáforos. Terá sido esse embate que mais afectou o juiz-conselheiro Mário Mendes que, segundo fontes médicas, deu entrada no hospital com um traumatismo craniofacial e "perdas de conhecimento". Ontem, à hora do fecho desta edição, estava a ser sujeito a uma intervenção cirúrgica à face, mas não corria perigo de vida.

Um inspector da Polícia Judiciária de Setúbal, João de Sousa - que, por coincidência, subia a avenida no momento do acidente ao volante de um automóvel - assistiu a tudo e foi o primeiro a chegar ao local para prestar socorro. Ao que o JN apurou, Mário Mendes e Paulo Lucas estavam encarcerados e envoltos nos airbags da viatura que o inspector da PJ teve de rasgar com um canivete para os conseguir socorrer.

Inicialmente, João de Sousa não percebeu que o homem que socorria era o secretário-geral de Segurança Interna, a vítima que lhe parecia estar mais grave dado o estado de choque e de convulsões que apresentava. Foi com o seu casaco que conseguiu imobilizar Mário Mendes, deitando-o no chão da avenida. Paulo Lucas ficou deitado no banco traseiro do Audi. As outras duas vítimas, o motorista e o polícia, conseguiram sair do carro pelo próprio pé. Ao local chegaram entretanto vários carros de bombeiros e ambulâncias do INEM que estabilizaram as vítimas e as transportaram para o Hospital de S. José. Segundo fontes médicas, com excepção do juiz conselheiro, que deu entrada com "perdas de conhecimento", todas as vítimas chegaram conscientes.

Segundo fonte do INEM, nenhum dos feridos corria risco de vida. Mário Mendes foi sujeito a um TAC que revelou ausência de lesões neurológicas e, ao fecho desta edição, estava a ser sujeito a uma cirurgia que devia durar "algumas horas". O intendente Paulo Lucas apresentava "várias fracturas" e estava a fazer exames complementares, mas estava estável e com prognóstico favorável. Outro dos feridos tinha também fracturas na face, mas sem necessidade de ser operado e o outro estava ainda a fazer exames. Todos ficaram internados.

PUB

Rui Pereira, ministro da Administração Interna, e Oliveira Pereira, director nacional da PSP, visitaram os feridos no hospital, mas saíram sem prestar declarações. Ontem mesmo, o inspector da PJ que socorreu as vítimas foi chamado pelo director nacional para lhe dar conta do sucedido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG