Covid-19

Surto em navio atracado em Lisboa com 77 casos confirmados

Surto em navio atracado em Lisboa com 77 casos confirmados

Todos os passageiros do navio de cruzeiro atracado em Lisboa, onde foram detetadas 77 infeções de covid-19, já foram desembarcados e levados para o aeroporto ou para isolamento em hotéis.

O desembarque de perto de 2800 passageiros do navio decorreu esta segunda-feira, entre as 6 horas e as 17 horas, e durante o dia foram confirmadas mais nove infeções com o coronavírus SARS CoV-2, elevando assim para 77 o total de casos a bordo, segundo os dados revelados à Lusa pelo capitão do porto de Lisboa e comandante local da Polícia Marítima de Lisboa, Diogo Vieira Branco.

Os passageiros com teste negativo à covid-19 foram sendo desembarcados, de forma faseada, para evitar aglomerações, ao longo do dia e levados para o aeroporto, para seguirem para os seus destinos.

Já os nove novos infetados, todos vacinados, assintomáticos ou com sintomas ligeiros da doença, foram levados para uma unidade hoteleira para aí cumprirem o isolamento determinado pelas autoridades de saúde, o mesmo acontecendo com 12 familiares destas pessoas.

Cerca de 60 passageiros com teste positivo à covid-19 tinham já sido também levadas para hotéis nos últimos dias, para fazerem isolamento.

No domingo, a empresa do cruzeiro pediu para oito tripulantes infetados ficarem a cumprir as quarentenas dentro do navio, o que foi autorizado.

PUB

O navio de cruzeiro pediu para deixar já hoje o porto de Lisboa, devendo seguir viagem às 20 horas, ainda segundo Diogo Vieira Branco.

O "AIDA Nova" chegou a Lisboa no dia 29 de dezembro de 2021, com 4.197 pessoas a bordo, entre 1.353 tripulantes e 2.844 passageiros, de várias nacionalidades, maioritariamente alemã.

Logo nesse dia foram detetados 14 casos de infeção com o vírus SARS-CoV-2, da covid-19, número que aumentou para 52 no dia seguinte, tendo essas pessoas sido retiradas do navio para hotéis de Lisboa. Todas essas pessoas estão vacinadas e assintomáticas ou com sintomas ligeiros da doença.

No dia 31 de dezembro, sexta-feira, as autoridades de saúde deram autorização para a saída do navio, mas o armador optou por permanecer até ao dia 2 de janeiro, domingo, dia em que iria para Lanzarote, em Espanha.

Nesse dia, domingo, 2 de dezembro, foram detetados mais 16 casos (em oito tripulantes e oito passageiros), e foi anunciado que a empresa responsável pelo cruzeiro decidiu dá-lo por terminado e levar a cabo uma operação de ligação aérea para todos os passageiros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG