Mobilidade

Trotinetas da Lime voltam às ruas de Lisboa

Trotinetas da Lime voltam às ruas de Lisboa

As trotinetas Lime regressam, esta sexta-feira, às ruas de Lisboa, depois do serviço de trotinetas partilhadas ter sido suspenso devido à pandemia da covid-19.

Nesta segunda fase de desconfinamento, a Lime criou um protocolo de medidas de higiene de forma a garantir a segurança dos utilizadores e funcionários.

Todas as trotinetas serão desinfetadas antes de serem colocadas nas ruas, assim como quando forem recolhidas, carregadas e redistribuídas. "Serão desinfetadas com especial cuidado as zonas de maior contacto, como os manípulos, acelerador, travão e base, com produtos especificamente recomendados pela Direção-Geral de Saúde", avança Nuno Inácio, responsável da Lime para o mercado português, em comunicado.

Todos os funcionários da Lime que manusearem as trotinetas usarão luvas e "obedecerão a um apertado protocolo de higiene". A empresa recomenda ainda assim aos utilizadores lavarem as mãos ou desinfetarem-nas, usarem luvas e "andarem sozinhos por razões de segurança".

A Lime vai relançar uma pequena frota "oferecendo uma alternativa de mobilidade individual a quem quiser movimentar-se pela cidade cumprindo o distanciamento social necessário" e contribuindo para que "se evite o uso de veículos privados a combustão".

"No ano em que Lisboa é distinguida como Capital Verde Europeia, acreditamos que as entidades públicas e privadas devem incentivar ao máximo a utilização de meios de transporte individuais, cooperando para que os lisboetas possam voltar a ter confiança para se movimentarem na cidade de forma segura", observa Nuno Inácio.

O responsável da Lime para o mercado português diz ainda que "estamos a viver um momento extraordinário que definirá e irá acelerar a forma como queremos que sejam as cidades do futuro".

"Cidades europeias como Paris, Berlim e Milão já deram um passo em frente, incentivando a micromobilidade ao expandir as suas infraestruturas (como ciclovias) para bicicletas e trotinetas ou ao subsidiar o uso deste meio de transporte. Com base na experiência de cidades sul-coreanas, como Seul e Busan, onde não suspendemos o nosso serviço, verificámos um aumento da procura de opções de transporte individuais, no seguimento dos esforços das sociedades no achatamento da curva epidémica da covid-19" conclui.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG