O Jogo ao Vivo

Ambiente

Vigília em Lisboa marcou início de semana em defesa do clima

Vigília em Lisboa marcou início de semana em defesa do clima

Pelo menos uma centena de pessoas pôs os pés ao caminho em nome de uma luta que é global, numa marcha noturna, sexta-feira, em Lisboa, que marcou o arranque da Semana Global pelo Clima. Dia 27 é dia de greve climática em vários países. A Greve Climática em Portugal arrancou ontem, numa marcha noturna, em Lisboa, que partiu do Príncipe Real até à Assembleia da República.

A declarar guerra ao aquecimento global, os participantes partiram do Príncipe Real até à Assembleia da República e ficaram até às 4 horas deste sábado numa vigília, que se fez de conversas com coletivos que subscrevem a luta. Na próxima semana há dezenas de iniciativas pelo país numa "caminhada" que só termina a 27, dia de greve e manifestações em mais de 25 cidades. Os ativistas exigem ao Governo medidas ambientais.

"Temos um manifesto onde fazemos muitas exigências", diz Alice Gato, 17 anos, uma das porta-vozes do movimento. Exigências que já tinham em março e em maio quando uma greve estudantil levou milhares de jovens para as ruas. Foi a resposta ao desafio da adolescente sueca Greta Thunberg de fazer frente aos políticos mundiais e lutar contra as alterações climáticas. Mas desta vez, a luta não é só dos estudantes, é de todos. A Semana Global pelo Clima acontece em 150 países.

Alice não se cansa de enumerar as exigências do manifesto. As últimas duas greves não tiveram efeito, diz, mas não vão desistir e o tema das alterações climáticas, sente, "está a ganhar mais peso". "Pedimos o encerramento das centrais a carvão e a gás, um travão em mais construções como o aeroporto do Montijo, o fim de concessões de qualquer tipo de exploração de petróleo, uma maior rede de transportes públicos, reflorestação". São tantas as medidas necessárias que Alice lhes perde a conta. "De facto, o cenário é catastrófico e é preciso mudar mentalidades e agir".

Os jovens parecem mais sensibilizados para uma matéria que, estão certos, vai custar caro a todas as gerações. Por isso é que esta greve climática diz respeito a todos, defendem. "Nos próximos dias vão acontecer cerca de 40 sessões de cinema, em espaços como as Fnac, faculdades ou escolas, com a exibição de filmes com esta mensagem". Algumas das iniciativas que vão acontecer são promovidas pelo movimento, mas também há autarquias, como a de Tomar, "que declararam a semana do clima", com atividades como recolha de lixo ou "outras formas de protesto mais artísticas".

27 de setembro é dia de greve. Uma greve que envolve mais de 40 organizações, desde o Extinction Rebellion à Climáximo. "A mobilização estudantil não está a ser fácil, mas por outro lado, esta é uma greve global, não é só para jovens, de tal forma que a Fenprof, por exemplo, vai fazer pré-aviso de greve". O objetivo é simples: travar o colapso da civilização, cortando as emissões de gases com efeito de estufa. É "pôr o assunto no mapa em Portugal".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG