Protesto

Escola de Loures encerrada devido a greve de pessoal não docente

Escola de Loures encerrada devido a greve de pessoal não docente

A escola secundária António Carvalho Figueiredo, em Loures, está, esta quinta-feira, encerrada devido à greve dos trabalhadores não docentes, que se manifestam contra a falta de pessoal e o "desgaste laboral".

Neste estabelecimento de ensino, situado na cidade de Loures, distrito de Lisboa, estão atualmente ao serviço 16 trabalhadores não docentes para um universo de 1300 alunos, segundo explicou à agência Lusa Francelina Pereira, do Sindicato em Funções Públicas.

"Estamos a falar de uma escola secundária muito grande e que se encontra numa situação gritante. Estamos no início do ano letivo e o desgaste já é muito grande. Os trabalhadores já não aguentam esta situação", apontou.

A sindicalista referiu que dos 1300 alunos que estudam nesta escola, 55 têm necessidades educativas especiais, sendo que desses quatro têm necessidade de um acompanhamento permanente.

"É uma situação insustentável. A escola tem 20 assistentes operacionais, mas só 16 estão ao serviço e quatro preparam-se para se reformar. Isto não pode continuar", insistiu.

Junto ao portão de entrada do estabelecimento escolar concentraram-se funcionários, professores, alunos e alguns encarregados de educação.

No entanto, Francelina Pereira lamentou que ninguém da direção da escola se tenha dirigido ao local onde decorria o protesto para "manifestar a sua solidariedade".

A Lusa contactou a direção da escola e o Ministério da Educação para obter um esclarecimento, mas não obteve resposta até ao momento.