Odivelas

PCP lembra "violência da lei das rendas" de Assunção Cristas

PCP lembra "violência da lei das rendas" de Assunção Cristas

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, lembrou, este domingo, a "violência da lei das rendas" do anterior Governo PSD/CDS-PP, da responsabilidade direta da atual líder democrata-cristã, Assunção Cristas.

"Bem podem PSD e CDS andar pelo país a prometer a terra do leite e do mel, que não se livram de terem a sua marca, e particularmente a marca de Assunção Cristas, nessa violência em que se tornou a lei das rendas, como o PCP oportunamente denunciou", afirmou Jerónimo de Sousa, num comício autárquico da CDU, que junta PCP, "Os Verdes" e independentes, em Caneças, Odivelas.

O líder comunista referia-se às anteriores funções ministeriais desempenhadas pela presidente do CDS-PP e candidata à Câmara Municipal de Lisboa, Assunção Cristas, e à "existência de habitações precárias e degradadas", considerando tratar-se de "uma realidade chocante no país e particularmente evidente nas áreas metropolitanas", pois "sucessivos Governos têm lavado as mãos como Pilatos".

"É necessário romper com a política de direita, que põe em causa o direito à habitação, e assegurar uma outra política, que responda aos direitos e aspirações das populações", declarou, lembrando as alterações introduzidas à legislação do arrendamento com contribuições do PCP para "impedir os despejos forçados que têm atingido milhares de famílias".

Segundo Jerónimo de Sousa, "dar mais força à CDU é exigir uma outra lei das rendas que assegure os direitos dos inquilinos e apoie a recuperação, que o PCP conseguiu, de um regime mais favorável de renda apoiada, permitindo, designadamente, às autarquias que tenham regulamentos próprios ainda mais favoráveis, como é o caso das autarquias CDU".