País

Cavalos substituem tractores na limpeza da serra de Sintra

Cavalos substituem tractores na limpeza da serra de Sintra

A empresa pública "Parques de Sintra Monte da Lua" adquiriu três cavalos belgas para a limpeza de matas e prevenção de incêndios na serra de Sintra. Os cavalos obedecem a um dialecto antigo e puxam árvores até 1600 quilos.

Na mata da Pena, onde as acácias proliferam e prejudicam as restantes espécies, há um trabalho de remoção de madeiras que, já neste verão, representa uma preocupação constante devido ao risco de incêndio.

A "Parques de Sintra Monte da Lua", empresa pública que gere os parques e palácios de Sintra (classificados pela UNESCO como património mundial) adquiriu, há quatro meses, três cavalos ao Estado Belga.

PUB

Os cavalos belgas bebem oitenta litros de água por dia, comem nove quilos de ração e substituem os tractores da serra de Sintra. Há 35 anos que os cavalos não eram utilizados.

Habituados a este trabalho forçado, os três animais custaram 3500 euros cada um e respondem a um dialecto antigo, que os tratadores e trabalhadores da empresa tiveram que aprender.

Gaudêncio Santos trabalhou durante décadas com as raças portuguesas mas, face à necessidade de aprender o dialecto ao qual os cavalos respondem, esteve há quatro meses na Bélgica para aprender "os truques" e hábitos destes animais e para criar um elo de ligação e confiança indispensáveis ao trabalho.

"A comunicação com eles é à base de oito códigos. Há muitas diferenças (relativamente às outras raças), mas estes também são inteligentes, meigos e não têm medo de uma motosserra ou quando uma árvore cai perto deles", disse o tratador.

De raça Ardennais e com cerca de 900 quilos, a força com que arrastam árvores de vários metros ainda hoje impressiona quem os vê trabalhar.

"Em três horas que aqui estiveram carregaram dois camiões de lenha. Trouxemos estes cavalos para trabalhar aqui especificamente onde não vão as máquinas, para não estragar certas espécies de árvores que vivem aqui", adiantou Gaudêncio Santos.

Para Nuno Oliveira, responsável pela floresta gerida pela "Parques de Sintra Monte da Lua", a utilização destes animais na serra tem inúmeras vantagens relacionadas com a conservação da natureza.

"Não têm quase impactos do ponto de vista ambiental, nomeadamente ao nível da erosão dos solos, da poluição sonora, da ausência de combustíveis fosseis, e portanto apresentam-se como uma alternativa bastante viável. A acrescer a estes factos, os cavalos podem ser um meio que pode ser equiparado aos meios mecânicos, com um investimento relativamente baixo", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG