Saúde

Vários reclusos da prisão de Sintra com infeções respiratórias de origem desconhecida

Vários reclusos da prisão de Sintra com infeções respiratórias de origem desconhecida

Vários reclusos do Estabelecimento Prisional de Sintra encontram-se com infeções respiratórias de origem por determinar, informou hoje fonte da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, sendo que um dos reclusos está internado num hospital.

"Verificou-se, em reclusos, um número de casos de infeção respiratória em número superior ao que é normal para esta época do ano", indicou a mesma fonte numa resposta escrita enviada à agência Lusa, sem especificar o número de casos registados.

O recluso que se encontra internado tem outras patologias, razão dada pela Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais para justificar o internamento hospitalar.

PUB

Seguidos pelos serviços clínicos da prisão, a situação dos infetados "não suscitou especiais cuidados e tem evoluído positivamente", acrescentou, sem registar até ao momento casos entre os funcionários da cadeia e sem novos casos nos últimos quatro dias entre os reclusos.

O Instituto Nacional Doutor Ricardo Jorge está a analisar amostras de sangue dos infetados para determinar a origem do vírus que causou as infeções respiratórias, detalhou o jornal.

O Estabelecimento Prisional de Sintra está localizado no distrito de Lisboa e é uma das 49 prisões existentes em Portugal, tendo uma lotação de 767 lugares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG