Torres Vedras

Câmara de Torres Vedras corta despesas com transportes escolares

Câmara de Torres Vedras corta despesas com transportes escolares

A Câmara de Torres Vedras vai deixar de pagar no próximo ano lectivo os transportes aos alunos que frequentem a escolaridade obrigatória e que residam a menos de quatro quilómetros da escola.

A vereadora da Educação, Laura Rodrigues disse à Agência Lusa que até agora era paga a totalidade do passe escolar a todos os alunos do concelho mas, por não ser uma obrigatoriedade legal, "há necessidade de cortar agora na despesa" dadas as limitações orçamentais que afectam as autarquias.

No próximo ano lectivo, 736 alunos que residem a menos de quatro quilómetros da escola deixam de ter transporte gratuito até à escola, assim como 130 alunos do ensino secundário que não estão abrangidos pela escolaridade obrigatória.

Ao todo, a autarquia prevê poupar 229 mil euros, sendo os custos anuais com transportes escolares cerca de um milhão de euros.

Os alunos que deixam de usufruir de transporte gratuito passam a pagar metade do passe escolar, cerca de 12 euros de um total de 23 euros mensais.

O restante valor é comparticipado pelo Ministério da Educação. "As famílias não vão pagar mais do que 12 euros por mês e, em relação aos alunos carenciados, a câmara está a estudar todos os casos para que sejam auxiliados", adiantou a autarca.

No concelho, cerca de cinco mil alunos beneficiaram de transporte escolar gratuito no ano passado, mas só três mil eram custeados pela câmara municipal e, destes, dois mil estão no novo ano lectivo a frequentar o ensino obrigatório e residem a mais de quatro quilómetros da escola.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG