Vila Franca de Xira

Ministério paga renda de "escola" desativada

Ministério paga renda de "escola" desativada

O Ministério da Educação continua a pagar renda de pré-fabricados que albergaram uma escola secundária no centro de Alverca, em Vila Franca de Xira, e que têm sido vandalizados, uma situação que está a preocupar a junta de freguesia.

"Nos últimos meses, algumas pessoas têm pernoitado na antiga Escola Secundária Infante Dom Pedro, que se encontra abandonada, o que está a criar mau ambiente, preocupação e insegurança entre a população, já que está situada no centro da cidade", explicou à Lusa o presidente da Junta de Freguesia de Alverca, Afonso Costa (PS).

Inconformado com a situação da antiga escola que chegou a receber 300 alunos, o autarca deixa críticas à Direção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo (DRELVT).

"O proprietário quer receber o terreno limpo, mas custa mais à tutela desmontar os pavilhões e cortar o mato, do que estar a pagar uma renda mensal simbólica, mesmo que durante anos", considerou.

Após o encerramento do estabelecimento de ensino, em abril de 2010, o equipamento composto por vários pavilhões e um recinto desportivo ainda recebeu uma escola de música e serviu de local de ensaios de um grupo coral.

Segundo o presidente da junta, a sala de ensaio do coro musical foi assaltada repetidas vezes e roubaram um órgão, partiram instrumentos, armários e portas, obrigando à saída do grupo coral daquele local.

Afonso Costa adiantou que já expôs o caso à DRELVT e à Câmara de Vila Franca de Xira, mas lamentou que nada tenha sido feito para resolver a situação.

PUB

Em relação "à ocupação indevida de que tem sido alvo o espaço", a Câmara de Vila Franca de Xira diz-se solidária com as preocupações da Junta de Freguesia de Alverca, e remeteu mais esclarecimentos para a tutela.

Em resposta enviada à Agência Lusa, o Ministério da Educação e Ciência esclareceu que o processo de negociação entre a DRELVT e os proprietários relativo à devolução do terreno já terminou, encontrando-se a DRELVT a aguardar uma resposta às propostas apresentadas.

O ministério não revelou o valor da renda que paga ao proprietário do terreno.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG