Castelo de Vide

Incêndio em festival destruiu 422 carros

Incêndio em festival destruiu 422 carros

Incêndio em parque de estacionamento do Festival Andanças atingiu viaturas e obrigou à retirada de milhares de pessoas.

Um incêndio de grandes proporções que deflagrou, esta quarta-feira, cerca das 15 horas, no parque de estacionamento nas imediações do Festival Andanças, em Castelo de Vide, destruiu 422 viaturas e danificou parcialmente outras nove, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

O fogo teve origem numa viatura e obrigou a retirar do local cerca de quatro mil pessoas, que só pelas 19 horas começaram a regressar ao recinto do festival.

Embora sem ferimentos graves, três pessoas foram assistidas no local, duas das quais foram transportadas para o hospital de Portalegre por inalação de fumos.

"Vi o meu carro a arder", testemunhou, ao JN, Natália Dias, uma portuense de visita ao Festival Andanças.

"O incêndio alastrou a grande velocidade entre os carros. Estavam muitos estacionados", contou Natália Dias, que estava preocupada com as pessoas instaladas no parque de caravanas situado perto do estacionamento em chamas.

"A organização e a polícia ordenaram a saída de todas as pessoas do recinto e dos parques", acrescentou a portuense.

José Cruz estava com duas filhas menores no festival e ao JN disse que "houve várias explosões no parque de estacionamento". Ele e a filha também foram retirados. "Chegamos a Nisa em carrinhas que nos foram buscar ao local", explicou. "Apesar de toda a confusão e do alarme, não vi ninguém ferido", referiu.

À distância, Helena Farinha relatou o sofrimento que viveu quando soube do incêndio. Só descansou quando conseguiu saber que as filhas, de oito e dez anos, estavam em segurança, com o pai, depois de serem retiradas do recinto.

Segundo Natália Dias, estavam milhares de pessoas no Festival Andanças, quando as chamas deflagraram. Os espectadores foram enviados para o outro lado da barragem da Graça de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide.

Os "bombeiros foram rápidos a chegar", mas depararam-se com alguns problemas à entrada do parque, contou.

Para o local foram mobilizados 48 operacionais de várias entidades, entre os quais da Proteção Civil, Bombeiros, GNR e INEM, apoiados por 17 meios terrestres e cinco meios aéreos. Em comunicado, a Autoridade Nacional de Proteção Civil acrescentou que também foram deslocadas para local equipas de psicólogos do INEM e das corporações de bombeiros de Portalegre e de Marvão.

Este incêndio originou um outro, numa zona de mato, no qual estiveram envolvidos 198 operacionais, apoiados 57 viaturas e cinco meios aéreos. Os dois incêndios ficaram dominados pelas 16.14 horas.

A GNR está a investigar ao caso. A investigação só passará para a Polícia Judiciária se forem detetados indícios de origem dolosa.

O festival não foi suspenso. Em declarações aos jornalistas, Graça Gonçalves, da organização, explicou que "há condições para manter o festival em funcionamento" e que, da parte dos promotores, "está tudo a postos para continuar".

"A organização tem um seguro que cobre os danos e agora estamos em contacto com a seguradora para avaliar tudo", explicou a responsável.

"Já regressámos ao recinto e estamos todos bem. Não há feridos graves e as atividades vão retomar brevemente. Graças a uma incrível coordenação por parte dos bombeiros, GNR, Proteção Civil, organização, voluntários e imensa gente que se prontificou para ajudar, tudo correu de forma fluida", referiu, ao final da tarde, a organização, através do Facebook.

O Andanças - Festival Internacional de Danças Populares decorre desde segunda-feira nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide.

Promovida pela PédeXumbo, Associação para a Promoção da Música e Dança, a 21.ª edição do festival esperava receber, até domingo, 40 mil visitantes, numa área de 28 hectares.