Festejos

Três anos depois, a Páscoa regressa com enchente em Castelo de Vide

Três anos depois, a Páscoa regressa com enchente em Castelo de Vide

O regresso da Semana Santa em Castelo de Vide volta a trazer milhares de portugueses e espanhóis as ruas da "Sintra do Alentejo" como é conhecida a vila raiana.

Três anos depois, a capacidade hoteleira da vila e do concelho esgotou. As 800 dormidas são poucas para aqueles que rumaram à terra onde nasceu Salgueiro Maia.

A parte religiosa da Páscoa começou na noite de quinta-feira com o transporte da imagem de Nossa Senhora da Soledade para o Calvário, uma antiga e minúscula igreja erigida no topo da vila. Na tarde desta sexta-feira prosseguem nas celebrações cristãs com a posição do Senhor e o Enterro de Cristo.

No sábado, a parte pagã tem um dos dias principais com a recreação do Mercado à Moda Antiga a Benção dos Cordeiros e à noite a Chocalhada pelas ruas da vila.

Mas Castelo de Vide tem um património rico para visitar, desde a judiaria, ao castelo, à Ermida da Senhora da Penha e a Casa da Cidadania inaugurada o ano passado pelo Presidente da República e dedicada ao Capitão de Abril, são pontos a não perder. Mas a Páscoa, é também sinónimo de borrego e cordeiro e, em Castelo de Vide, o Sarapatel e outros pratos da tradição judaico-cristã tornam as celebrações mais imponentes.

Nas duas principais ruas de Castelo de Vide as esplanadas estão repletas de turistas, muitos espanhóis, vindos da vizinha Valência de Alcântara e não só.

António Pita, presidente da Câmara de Castelo de Vide, é acima de tudo um cidadão feliz "pelo regresso das festividades, pelo gentio que nos visita e pelo grande retorno económico para todos. A hotelaria está repleta, os restaurantes cafés e esplanadas a abarrotar e nós autarcas e cidadãos felizes por termos a vila e o concelho cheios", concluiu.

PUB

Vir a Castelo de Vide é ter que provar um prato que se serve o ano inteiro, a tradicional açorda alentejana.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG