Autárquicas

Coligação PSD/CDS mantém maioria em Amarante mas perde um vereador para o PS

José Luís Gaspar foi reeleito presidente da Câmara de Amarante para o terceiro mandato consecutivo

Foto André Rolo / Global Imagens

José Luís Gaspar, pela coligação PSD/CDS, foi reeleito presidente da Câmara de Amarante para o terceiro mandato consecutivo. A vitoria da coligação de direita "Afirmar Amarante", a terceira consecutiva, foi porém mais magra do que a anterior, em 2017, o que lhe valeu a perda de um vereador. Ainda assim, os amarantinos deram a segunda maioria à coligação.

Deste modo, no derradeiro mandato, o autarca José Luís Gaspar vai ter a seu lado quatro vereadores. O PS, que apostou no jovem deputado Hugo Carvalho como cabeça de lista, aumentou o número de vereadores no Executivo Municipal. Passam a ser quatro os socialistas na oposição à governação da Câmara. Eram três até aqui.

A coligação "Afirmar Amarante" PSD/CDS também voltou a ser a força mais votada para a Assembleia Municipal. O médico Pedro Cunha (PSD), que liderou a lista da coligação, deverá ser reconduzido ao cargo de presidente.

Nas Assembleias de Freguesia (AF), a coligação "Afirmar Amarante" conquistou 13 das 26 freguesias que compõem o concelho. Já o PS obteve 12 vitórias. Ainda assim, os socialistas dominam nos dois polos urbanos do concelho (Amarante-cidade e Vila Meã).

Na União de Freguesias de Amarante (S. Gonçalo, Madalena e Cepelos), a AF manteve-se nas mãos do PS por 97 votos, embora com novo presidente, no caso, Américo Paulo Ribeiro. O presidente cessante da freguesia sede do concelho, por opção, abandonou a vida autárquica. Lino Macedo foi reconduzido na "Vila".

Refira-se que a representatividade nos órgãos autárquicos de Amarante volta a cingir-se à coligação PSD/CDS e ao PS. O Bloco foi a terceira força política mais votada para a Câmara, com 656 votos. O Chega foi o quarto partido mais votado, com 623 votos, e, por fim, a CDU, com 511 votos.