Autárquicas 2021

José Luís Gaspar inicia último mandato em Amarante com discurso conciliador

José Luís Gaspar inicia último mandato em Amarante com discurso conciliador

José Luís Gaspar iniciou neste domingo, 17 de outubro, o último mandato do seu reinado como presidente da Câmara de Amarante com um discurso conciliador apelando à colaboração da Oposição, liderada pelo deputado socialista na Assembleia da República, Hugo Carvalho.

Presidente reeleito da Câmara de Amarante com 52,49% (16266 votos) pela coligação Afirmar Amarante PSD/CDS, José Luís Gaspar, que se assume como "um mediador", anunciou que ao longo do mandato agora iniciado se irá "bater pelas melhores soluções" em quatro eixos "acima do interesse partidário": hospital de Amarante, "apesar das promessas nunca cumpriu os serviços mínimos prometidos"; o caminho de ferro que é "essencial para a mobilidade e turismo"; o serviço, em baixa, das Águas do Norte "cujo plano de investimentos defrauda as expectativas da população, um desastre", e o Parque Florestal, "um espaço nobre da cidade" que no entender de Gaspar "devia estar ao serviço dos amarantinos com a dignidade que merece".

"Estes são assuntos da maior importância na certeza, porém, que não dependem diretamente da vontade da Câmara Municipal mas sim da melhor articulação com o Governo da República e com as instituições que tutela", sublinhou.

Ainda com um extenso caderno de encargos de obras em curso, por concluir - como a Casa da Memória no Solar de Magalhães, Cineteatro, reabilitação do rio Tâmega, parques de estacionamento, eixo viário central de Vila Meã, etc - José Luís Gaspar anunciou que é sua intenção avançar com a reabilitação da zona de Santa Luzia, que será transformada para que aquela área seja "mais uma zona nobre da cidade". Disse ainda que quer requalificar o Campo da Feira e renovar a zona da Alameda Teixeira de Pascoaes, espaço comum ao mercado municipal e à Câmara.

"Quero uma cidade mais ampla, aberta, de fácil acesso", disse José Luís Gaspar à plateia que o ouvia no Claustros do Museu Amadeo de Souza Cardoso, local onde decorreu o ato da tomada de posse. Ao JN, o autarca prometeu "para breve o fecho da circulação automóvel, aos fins de semana, na ponte S. Gonçalo", atendendo ao número elevado de transeuntes, designadamente turistas, que usam a travessia e que são incomodados pelos automóveis.

Apostado em recuperar para Amarante o epíteto de "Princesa do Tâmega", o edil sustenta a ambição "na onda de progresso" que o concelho está a viver sendo "reconhecida" nacional e internacionalmente, fez notar.

O Executivo Municipal de Amarante é composto por cinco eleitos (presidente e quatro vereadores) da coligação PSD/CDS e por quatro vereadores do PS. Pedro Cunha (PSD/CDS) foi reeleito presidente da Assembleia Municipal.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG