Exclusivo

Corpo de vítima de covid entregue à família errada

Corpo de vítima de covid entregue à família errada

Caso envolve o Lar de São Lázaro e o Hospital de Santo António, no Porto, e foi comunicado ao Ministério Público. Familiares pedem responsabilidades.

A troca de identidade de duas idosas com covid-19 está a causar grande revolta numa família de Fânzeres, Gondomar. Ambas as doentes, utentes do Lar de São Lázaro, no Porto, deram entrada no Hospital de Santo António, mas apenas uma delas faleceu. O corpo foi entregue à família errada que o cremou e o erro só foi detetado quando a outra idosa regressou, dias depois, recuperada ao lar. A família da falecida Palmira Rocha, de 94 anos, está em "estado de choque", quer que lhes sejam entregues as cinzas para fazer o luto e pede responsabilidades.

O caso ocorreu há mais de uma semana. Duas idosas internadas no Lar de S. Lázaro, pertencente à Santa Casa da Misericórdia do Porto, deram entrada no hospital. O problema é que houve uma troca na identidade das pacientes, antes ou depois de entrarem na unidade de saúde. "Foi-nos comunicado que a minha avó estava infetada e estava internada, mas depois nunca mais nos disseram nada", conta o neto Tiago Rocha. Palmira, de 94 anos, não resistiu ao novo coronavírus e faleceu na terça-feira da semana passada, dia 10 de novembro. O corpo foi entregue aos familiares da outra utente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG