Pandemia

Estudantes fazem viseiras para proteger do vírus em Gondomar

Estudantes fazem viseiras para proteger do vírus em Gondomar

Município, o quarto com mais infetados no país, decidiu reutilizar 15 impressoras 3D que eram de projeto de robótica. Equipamentos serão para distribuir por instituições do concelho.

Em Gondomar, os novos casos de coronavíros continuam a surgir por todo o concelho. De acordo com os dados da Direção-Geral da Saúde, é o quarto município com mais infetados pela Covid-19, só superado por Lisboa, Porto e Gaia. O número deixa o presidente da Câmara, Marco Martins, "apreensivo", uma vez que os casos têm surgido "generalizados pelo concelho". Apesar disso, o autarca avança com uma explicação: "À medida que mais gente vai fazendo os testes, é natural que mais casos deem positivo".

Perante este cenário, o autarca admitiu ao JN que tem "estruturas de reforço já montadas para o que caso de ser preciso". Uma das medidas tomadas pela Autarquia para colaborar na luta contra a pandemia passa pela reutilização de impressoras 3D para fazer viseiras. Os equipamentos, são operados por estudantes - adquiridas no âmbito de um projeto de robótica integrado no Projeto de Combate ao Insucesso Escolar - são operados por estudantes.

Passeio de mulheres

Os primeiros casos do novo coronavírus em Gondomar registaram-se no Alto Concelho. Marco Martins recorda que "surgiram na sequência de um passeio de 150 mulheres, que a 8 de março foram comemorar o Dia Mundial da Mulher a uma quinta a Barcelos, onde estiveram presentes cerca de 700 pessoas". "Nem o motorista do autocarro que as levou escapou. Entretanto já recuperou e voltou ao ativo", salientou.

Foi a 6 de março que Marco Martins utilizou pela primeira vez o Facebook para fazer referência ao Plano de Contingência relativo ao Covid-19, escrevendo: "Sem alarmismos nem exageros...mas com a atenção e cuidado que o tema merece! Se todos cumprirmos as recomendações, o risco diminui". Seis dias depois, o autarca teve conhecimento "dos primeiros quatro casos em Gondomar".

Desde então, tem publicado quase diariamente todas as medidas que a Autarquia tem vindo a implementar. Entre elas incluem-se o encerramento dos espaços Idade d"Ouro nas várias freguesias, que abrangem mais de 800 seniores, a isenção do pagamento das rendas a todas as famílias residentes em habitações sociais pelo período de três meses, e a disponibilização do Multiusos para instalação de um centro de rastreio "drive thru", que está a funcionar desde segunda-feira.

O Município também está a rentabilizar as impressoras 3D de um projeto de combate ao insucesso escolar para criar viseiras.

"A ideia foi aproveitar as 15 impressoras que já tínhamos e criar, em parceria com a Skillmind, uma linha de montagem para produção de viseiras de proteção que serão distribuídas de forma gratuita no concelho em unidades de saúde, lares de idosos e serviços de atendimento", explicou ao JN a vereadora da Educação, Aurora Vieira.

30 a 40 por hora

Carlos Sousa, da Skillmind e autor do protótipo de viseira que, por estes dias, está a ser replicada na Escola Secundária de Gondomar, assegurou ao JN que "por hora são feitas entre 30 e 40".

Lília Silva, diretora do Agrupamento de Escolas nº 1 de Gondomar, ressalva que "a grande mais-valia é que o tempo despendido pelos alunos para fazer as viseiras conta como horas de estágio, fundamentais para completarem o 12.º ano".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG