Ambiente

Expropriação de terrenos com resíduos perigosos em São Pedro da Cova pronta em março

Expropriação de terrenos com resíduos perigosos em São Pedro da Cova pronta em março

A Câmara de Gondomar conta ter o processo de expropriação dos terrenos de São Pedro da Cova onde estão depositadas toneladas de resíduos industriais perigosos "pronto durante o mês de março", disse esta segunda-feira o presidente da autarquia.

"Houve um problema administrativo com a titularidade de uma das parcelas dos terrenos, mas durante o mês de março contamos que esteja tudo pronto para a Câmara colocar os terrenos à disposição da CCDR-N [Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte] e para que esta possa atuar", referiu à agência Lusa o presidente da Câmara de Gondomar, Marco Martins.

De acordo com o autarca, a expropriação dos terrenos, anunciada a 26 de novembro de 2019, "está a avançar bem", mas a "mudança de propriedade de uma das parcelas", algo feito, acrescentou, "por um dos titulares" obrigou a uma "nova resolução de expropriação".

Questionado sobre se após esta medida a retirada de resíduos poderá avançar, Marco Martins indicou que "ainda faltará o visto do Tribunal de Contas", algo "da responsabilidade da CCDR-N, enquanto dona da obra".

Em causa está a expropriação de 19 hectares em São Pedro da Cova, o que, de acordo com o anunciado a 26 de novembro do ano passado por Marco Martins (PS), custará à autarquia cerca de 1,5 milhões de euros.

Na mesma data, o presidente da Câmara de Gondomar garantiu, em declarações à Lusa, que o assunto está "consensualizado" com o Governo (PS) através do Ministério do Ambiente e Ação Climática.

A Câmara de Gondomar, distrito do Porto, propõe-se expropriar os terrenos de São Pedro da Cova onde estão depositados resíduos industriais perigosos, bem como o complexo mineiro que encerrou em 1970.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG