Valbom

Museu Municipal da Filigrana abre na Casa Branca de Gramido em Gondomar

Museu Municipal da Filigrana abre na Casa Branca de Gramido em Gondomar

Está em obras desde o final do ano passado e promete abrir portas com novas funções. A Casa Branca de Gramido, situada na marginal da freguesia de Valbom, em Gondomar, passará a acolher o Museu Municipal da Filigrana.

Um espaço que servirá para "perpetuar a história" daquela que é uma arte centenária, com um produto turístico autêntico e diferenciador, referiu ao JN o presidente da Câmara, Marco Martins.

Mas isto não invalida que a Autarquia acalente o sonho "de ainda abrir o Museu da Filigrana e da Ourivesaria no centro de Gondomar", frisou.

O Museu Municipal da Filigrana deverá abrir portas até maio - assim as restrições pandémicas o permitam -, com entrada gratuita, e representa um investimento de cerca de 260 mil euros.

Valor gasto nas obras de reabilitação do imóvel, fundamentalmente de fachada e cobertura, e na aquisição de peças de filigrana e mobiliário.

A intervenção inclui também a reparação do muro de suporte do parque de estacionamento contíguo, que ficou danificado com o mau tempo de outubro de 2019.

Uma das curiosidades do museu municipal promete ser uma réplica da Torre de Belém toda ela feita à mão, em filigrana.

PUB

Sandra Almeida, vereadora responsável pelos pelouros do Património e Turismo, explicou ao JN que a ideia de criar o museu surgiu na sequência da criação da Rota da Filigrana. "Quando a Casa Branca de Gramido passou a ser um "welcome center" da rota, porque é daqui que os visitantes iniciam visita ora para as oficinas do artesãos, ora para o Centro de Formação Profissional da Indústria de Ourivesaria e Relojoaria, começamos a perceber que as pessoas, depois de visitarem a exposição com artefactos desta arte, tinham vontade de comprar peças".

O museu municipal, que também vai ter artesãos a trabalhar ao vivo, vai permitir que o público possa ali mesmo comprar peças dos sete profissionais que fazem parte da Rota da Filigrana. Como o célebre coração que foi oferecido à atriz americana Sharon Stone.

De resto, na Casa Branca de Gramido, de olhos postos sobre o Douro, continuará a funcionar a Loja Interativa de Turismo, (funções que passou ter desde 2014), da mesma forma que o espaço continuará a receber as mais variadas atividades culturais, como exposições ou apresentações de livros.

Com a reabertura da Casa Branca de Gramido, será também retomada a atividade da Rota da Filigrana, onde o público chega a conhecer as oficinas dos próprios artesãos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG