Exclusivo

Pirotecnia sai da marginal de Valbom ao fim de 65 anos

Pirotecnia sai da marginal de Valbom ao fim de 65 anos

Uma empresa de pirotecnia laborou durante 65 anos na marginal de Gramido, em Valbom, Gondomar. Por conta do projeto Polis, com a construção do passadiço junto ao rio, a Câmara encetou negociações, em 2011, para a fábrica sair dali. Todavia, só volvidos dez anos, é que a mudança aconteceu.

Foi a 14 de julho de 2021 que a pirotecnia de Rui Resende, 66 anos, passou a ter licença para trabalhar, num terreno cedido pela Autarquia no lugar de Tardariz, na freguesia de S. Pedro da Cova. "Mais ou menos a sete minutos de carro" das antigas instalações, em Gramido, ressalvou o proprietário.

"O objetivo era que a pirotecnia Resende deixasse a zona de Gramido, junto à Estrada Nacional 108, zona com muito movimento rodovário, somando-lhe os milhares de pessoas que ali correm e caminham com o rio Douro a 20 metros", resumiu o presidente da Câmara, Marco Martins.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG