Limpeza

Equipas especiais recolhem lixo dos infetados em Lousada

Equipas especiais recolhem lixo dos infetados em Lousada

Manusear os lixos produzidos por pessoas infetadas exige cuidados e risco. Para proteger todos, a Câmara de Lousada criou uma solução específica. Há equipas que vão a casa de quem está com Covid-19 recolher os resíduos que produzem e os encaminham para incineração.

Todos os dias, Artur Coelho recebe uma lista atualizada de pessoas a que é preciso dar resposta. O encarregado geral do Departamento de Obras do Município equipa os trabalhadores, cantoneiros e motoristas que tiveram formação, com fatos, máscaras, viseiras, dois pares de luvas, e envia-os para o terreno. Neste momento, vão já a cerca de 60 casas levantar lixo possivelmente contaminado, 30 por dia.

O sistema é sempre o mesmo, explica. "Não têm contacto com as pessoas. Ligam quando chegam à porta. Colocam um contentor onde a pessoa tem que colocar o seu saco. Depois de a pessoa confirmar que já está e fechar a porta recolhem, selam tudo dentro de um outro saco e retiram um par de luvas e calçam outras", descreve. Pelo caminho, a viatura que usam é desinfetada várias vezes. O lixo é depois depositado num contentor específico, no ecocentro, e é recolhido para incinerar. "Há sempre receio, mas eles estão protegidos com o equipamento", garante Artur Coelho.

Dia sim, dia não, uma das casas visitadas é a de "Maria", chamemos-lhe assim. Depois de ter sido registado um caso na fábrica onde trabalhava e com alguns sintomas, feitos os testes foi confirmada a doença. "Já estava isolada do meu marido e filhos, mas desde o dia 3 que passo a vida no quarto. Só saio para ir à casa de banho, onde desinfeto tudo", conta a mulher de 40 anos. No quarto tem um saco para o lixo, que depois coloca à porta. "O meu marido, usando luvas, mete dentro de outro e fecha. Às vezes ainda mete num terceiro saco", refere. Depois, colocam à porta quando são contactados.

Lousada foi um dos primeiros concelhos do país com infetados, o que exigiu inventar soluções, admite Pedro Machado. "Quando muitos concelhos estavam a ter os primeiros infetados, nós já tínhamos pessoas em casa a recuperar ou totalmente recuperados. A recolha de resíduos foi uma das primeiras problemáticas que tivemos que resolver. Achamos que, se evitássemos o contacto dos familiares e dos vizinhos nessa tarefa, estaríamos a reforçar a prevenção, evitando-se a contaminação de outras pessoas", esclarece o presidente da Câmara.

Primeiro recuperado

Em Lousada e Felgueiras, que registaram um dos primeiros grandes focos do contágio em Portugal - tinham 19 dos 23 casos identificados no norte -, a 9 de março, fecharam escolas, ginásios, bibliotecas, piscinas e espaços culturais e houve apelos ao recolhimento. A isso juntou-se o fecho de equipamentos e serviços municipais.

"Foram dias duros, sentimos que mexemos muito no dia a dia de milhares de pessoas, mas está a valer a pena", acredita o autarca, numa altura em que o concelho tem cerca de 140 infetados, vários recuperados e nenhuma morte registada.

Tudo terá começado em Casimiro Sousa, lousadense de 50 anos que esteve numa feira do setor de calçado em Milão. Só depois de várias idas ao médico foi confirmado como positivo e, a partir dele, terão ficado infetados vários familiares e colegas da empresa, localizada em Santo Estêvão de Barrosas, com 60 trabalhadores, muitos do concelho vizinho de Felgueiras.

O homem esteve internado no Hospital de São João, no Porto, mas foi para casa a 12 de março, sendo o primeiro caso de recuperação de Covid-19 no país.

Isenções de taxas

Para apoiar famílias e empresas foram dadas isenção de taxas municipais, prolongado o prazo de pagamento das faturas emitidas pela Câmara e suspensos os cortes de água. É dada ainda a isenção da tarifa de disponibilidade de resíduos, abastecimento de água e águas residuais aos estabelecimentos encerrados.

Verbas transferidas

As verbas dos eventos cancelados foram transferidas para o apoio social às famílias.

Rotatividade

Nos serviços considerados essenciais ao funcionamento do município, exemplo do apoio social, água, saneamento, recolha resíduos, piquete de obras, foi implementada rotatividade dos trabalhadores. Nas restantes adotou-se o teletrabalho.

Linha de apoio

A Autarquia criou uma linha de apoio exclusiva para os doentes com Covid-19 no concelho a recuperar em casa ou que estejam em isolamento. É coordenada pelos técnicos de Ação Social.

Apelo à produção

Há empresas a readaptar-se. A Câmara já lançou o repto para que produzam equipamentos de proteção individual. "Algumas até já iniciaram a produção", diz o autarca.

Outras Notícias