Natalidade

Lousada homenageia 437 bebés nascidos em 2019

Lousada homenageia 437 bebés nascidos em 2019

"Lousada convida a nascer e a crescer", acredita Teresa Oliveira, de 34 anos, que foi em 2019 mãe pela primeira vez.

O seu bebé, Diogo, foi um dos mais de 150 que participaram na homenagem realizada, esta tarde, pela Autarquia, às 437 crianças que nasceram no concelho no ano passado. O objectivo da iniciativa, realizada pelo segundo ano consecutivo, é assinalar a vitalidade demográfica do município que se assume como o mais jovem de Portugal Continental.

Teresa Oliveira, de Silvares, foi mãe em abril. Diogo é o seu primeiro filho, planeado, por acreditar que estava na altura certa. "Estou a adorar a experiência de ser mãe e ser mãe em Lousada é muito bom. Os nossos bebés têm todas as condições para se desenvolverem aqui", sustenta a jovem, referindo-se às infraestruturas físicas, como escolas e espaços verdes, mas também à qualidade de vida no concelho. Quanto à homenagem aos bebés, a lousadense diz que é "bom que a valorize a coragem para ser pai e mãe" e é uma prova de que há preocupação com as famílias. "Quero ter mais filhos e continuarei em Lousada para os criar", garante.

Paulo Moreira, que já tem uma filha com 10 anos, teve direito a homenagem a dobrar. As gémeas Alice e Benedita, com apenas três meses, também vieram receber o reconhecimento municipal. "A vida estava estabilizada e pensamos "porque não ter o segundo filho?". Veio uma bênção e tivemos gémeos. Lousada é um bom sítio para criar um filho, é uma vila sossegada e tem todas as infraestruturas necessárias", atesta o pai, residente em Caíde de Rei, que elogia ainda esta sessão pública. "Para os pais é um orgulho vir cá mostrar os bebés", afirma o homem de 43 anos.

Também com um casal de gémeos - os pequenos Mateus e Duarte, agora com seis meses, mas que nasceram prematuros - o lousadense João Marcelo, de 27 anos, pai de primeira viagem, defende que o que é preciso são mais políticas de incentivo à natalidade a nível nacional. "Devia haver mais tempo para estar com as crianças", alerta. "Só tive direito a mais quatro dias, além dos 25 que já tinha, por serem gémeos. Basicamente o tempo que tive com eles foi no hospital", explica.

Esta iniciativa da Câmara de Lousada realizou-se pelo segundo ano e visa celebrar a "vitalidade demográfica do território", justifica o presidente da Câmara. "Lousada é um dos concelhos mais jovens de Portugal Continental e está em contraciclo. O facto de continuarmos a ter muitos nascimentos deve ser celebrado, sobretudo quando o país e a Europa têm um problema demográfico de envelhecimento", acredita Pedro Machado.

Em Lousada, a aposta passa por incentivos às famílias, embora o autarca acredite que mais que medidas avulsas é o conjunto que potencia a natalidade no concelho. "O Município dá incentivos às famílias para que tenham cada vez mais filhos. Temos uma política fiscal amiga das famílias, com taxa de IMI no mínimo e com deduções específicas para quem tem mais de dois filhos, e tarifários sociais para famílias numerosas", refere o edil. Este ano, houve três novas medidas implementadas com importância na vida das famílias: o alargamento do transporte escolar gratuito até ao 12.º ano; o alargamento do prolongamento de horário nas escolas, não só ao final da tarde mas também ao início da manhã; e o pagamento dos custos com a creche para quem tiver mais do que dois filhos.

A questão do "défice de resposta ao nível das creches" preocupa a Autarquia, que vai apoiar as candidaturas de cinco instituições do concelho ao Programa Pares para a criação de cinco novas estruturas. "Se há município onde as creches são necessárias é Lousada", garante Pedro Machado. A par disso, o concelho está a desenvolver um projecto para habitação a custos controlados em Lousada e um programa de arrendamento acessível para "que as famílias de Lousada continuem a ter condições para ter muitos filhos".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG