Mobilidade

Autocarro a pedido vai crescer para outras freguesias na Maia

Autocarro a pedido vai crescer para outras freguesias na Maia

"O objetivo do Mobus está a ser alcançado", referiu Hugo Martins, da empresa Maia Transportes, sobre o novo serviço lançado pelo Município que registou 53 reservas no primeiro mês. O autocarro funciona a pedido e pretende servir zonas da Maia com menos oferta de meios de transporte.

Irene Almeida, motorista do Mobus desde que começou a circular, afirmou que é unânime a opinião positiva das pessoas sobre investimento neste transporte. Ainda assim, admite que o serviço tem de ser reforçado através de uma maior divulgação: "Está a correr bem e há adesão. Mas agora tem de se melhorar, porque ainda há muita gente que desconhece o serviço, ou não sabe como chegar a ele", declarou a motorista.

Para fazer reserva do Mobus, os utilizadores podem marcar a viagem através de chamada telefónica (227667046) ou pelo site (www.mobus.pt), sendo que as marcações têm de ser feitas na véspera, até às 17 horas. Indicam o ponto de recolha predefinido e a hora pretendida, recebendo a confirmação por email.

PUB

Atualmente, circula apenas uma viatura, que tem capacidade para sete pessoas, excluindo pessoas com mobilidade reduzida. Na apresentação do serviço, no final de setembro, Hugo Martins mencionou que o serviço poderia vir a ter algumas alterações.

Com o balanço do primeiro mês, o responsável revela que estão a pensar "alargar o número de paragens disponíveis e o horário de funcionamento", bem como adaptar as viaturas para receber cadeiras de rodas, se houver vários utilizadores nessa condição.

Também está a ser estudado a expansão do serviço para freguesias que reclamaram por não serem abrangidas pelo Mobus. "Não conseguimos que isso ficasse pronto este mês, mas prevemos isso para dezembro", referiu o dirigente da Maia Transportes.

O presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago revelou estar "muito contente pelo que já se fez pela mobilidade do município, neste último ano". De acordo com o autarca, este modelo de transporte já tinha sido experimentado há cerca de dez anos, no entanto não houve adesão.

"É notável, as pessoas estão a aderir de forma muito expressiva aos novos modelos de deslocação, e isso reforça a nossa convicção de colocar mais financiamento no setor, para que assim a comunidade passe a utilizar cada vez mais o transporte público e seja possível diminuir e racionar as viagens de automóvel", concluiu.

O Mobus integra o novo Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Maia. De acordo com o vereador Mário Nuno Neves, o programa, com um horizonte entre cinco a sete anos, pretende reduzir o uso do automóvel, ao promover deslocações através do transporte público, menos prejudiciais para o meio ambiente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG