Saúde

Fábrica da Maia confirma legionela em trabalhador mas em novembro

Fábrica da Maia confirma legionela em trabalhador mas em novembro

A empresa da Maia onde está confirmado um caso de legionela é a Sakthi, uma fábrica de componentes automóveis.

A empresa dedica-se ao ramo automóvel e tem 100% capital indiano. Está localizada em Vermoim e emprega 520 pessoas.

O diretor-geral de saúde, Francisco George, disse que o caso confirmado, segunda-feira, pela Direção-Geral de Saúde (DGS) foi sinalizado na última semana de fevereiro.

"Todas as medidas foram tomadas para controlar o problema e prevenir novas ocorrências. Prosseguem os estudos em mais sete casos que foram diagnosticados nas últimas semanas", disse Francisco George.

"O Instituto Ricardo Jorge identificou a relação causa-efeito entre as secreções pulmonares de um doente com pneumonia provocadas por uma bactéria que é a mesma detetada na água da torre de arrefecimento da respetiva empresa fabril", explicou o diretor-geral de saúde.

Ao final da manhã, o presidente do conselho de administração da empresa, Jorge Fesch, deu conta, numa conferência de imprensa, que as últimas análises que a empresa tem feito aos tanques de água têm dado resultados negativos. O empresário revelou, no entanto, que, em novembro, um trabalhador foi infetado pela bactéria, tendo já recuperado e voltado ao trabalho.

Na altura, por ser um caso isolado, a Sakthi não reportou a situação à DGS. "Não sentíamos que tínhamos uma situação de alarmismo", justificou o empresário.

Já em fevereiro, uma análise detetou o microrganismo "num dos múltiplos tanques" que a empresa dispõe, tendo, por isso, sido contactada pela DGS.