Tomada de posse

Cristina Vieira "motivada para fazer um mandato extraordinário para o Marco de Canaveses".

Cristina Vieira "motivada para fazer um mandato extraordinário para o Marco de Canaveses".

Cristina Vieira jurou, neste sábado 16 de outubro, cumprir um novo mandato à frente da câmara do Marco de Canaveses com uma "motivação extra" pela força eleitoral que os marcuenses lhe deram nas últimas eleições autárquicas. Venceu com 59,04%.

A oposição, PSD/CDS, além de ter saído fragilizada pelo mau resultado eleitoral (34,21%), não vai contar com a prestação da cabeça de lista da coligação PSD/CDS, Maria Amélia Ferreira, que renunciou ao mandato. Ainda assim, aquela que foi uma das principais apostas de Rui Rio para as eleições autárquicas foi desejar as maiores felicidades a Edil, mas na qualidade de Provedora da Santa Casa da Misericórdia.

Ao não assumir a vereação Maria Amélia Ferreira, antiga diretora da Faculdade de Medicina, "abriu" as portas para que o número dois da lista da Coligação PSD/CDS, Mário Luís, que entrou pela cota dos centristas no acordo de coligação, passe a ser o primeiro vereador da oposição. Ainda assim, Mário Luís terá primeiro que tomar posse, faltou à cerimónia deste sábado "justificadamente", indicou uma fonte. O outro vereador da coligação é Francisco Vieira, presidente da concelhia do PSD, nº 3 da lista da coligação.

É neste este quadro político que a socialista avança para o segundo mandato consecutivo em maioria e reforçada. "Já estávamos no palco a festejar a vitória quando soube da eleição do quinto vereador, que não era de todo expectável", assumiu Cristina Vieira aos jornalistas. Perante "tamanha confiança", do eleitorado, a socialista diz-se consciente da expectativa que os marcuenses depositaram na sua reeleição. "Estou motivada para fazer um mandato extraordinário para o Marco de Canaveses", garantiu.

Sobre a magna questão municipal marcuense - o contrato de concessão de água e saneamento - Cristina Vieira disse ao JN que tem a convicção que "logo neste primeiro ano do mandato teremos bons resultados nestas negociações e muito brevemente o concelho terá uma solução", referiu.

A autarca explicou que uma consultora está a avaliar "quanto é que custa um resgate, quanto é que custa a internalização do subsistema das águas para a Câmara Municipal ou até avançar com uma nova concessão. Não estou em condições de apontar para nenhum destes caminhos. Aguardamos que a empresa consultora nos dê os dados credíveis para que possamos conjuntamente com a oposição, porque o problema não é do PS é do Marco de Canaveses, resolver este problema", disse.

De resto, Cristina Vieira que até agora detinha 11 pelouros, com o reforço da vereação, a prioridade da autarca é estar "mais liberta para tratar das grandes questões para o município" e para assumir o pelouro do urbanismo. "Temos em marcha a revisão do Plano Diretor Municipal e nós, Partido Socialista, queremos deixar uma marca no planeamento do concelho. Porque as casas e ruas de qualidade fazem vidas de qualidade, " esse é o maior desafio que temos pela frente. Dar resposta às necessidades de habitação e responder aos desafios do urbanismo para uma melhor cidade, uma melhor vila e espaços urbanos qualificados. Que os erros do passado sejam um desafio para um futuro melhor", concluiu.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG