Marco de Canaveses

Junta e empresários matam fome a quem já não tem o que comer 

Junta e empresários matam fome a quem já não tem o que comer 

A Junta de Freguesia de Alpendorada, Várzea e Torrão, no concelho do Marco de Canaveses, em parceria com o tecido empresarial local, está a fornecer refeições diárias a quem está com dificuldades financeiras provocadas pela pandemia.

Atualmente, são servidas 25 refeições diárias a um total de 15 agregados familiares que, "por causa da covid-19", já não têm o que comer.

A Junta de Freguesia, através dos serviços vocacionados para o apoio social, identifica as situações de carência e contacta restaurantes, que levam a comida a quem dela necessita. A conta é paga pelos empresários de extração de granito, cabendo à Junta repôr o montante que possa faltar para liquidar a fatura.

Além do apoio solidário, a iniciativa está também a ajudar os restaurantes a manterem-se em atividade.

O Presidente da Junta de Freguesia, Domingos Neves, considera que decidiu avançar com a medida em função das condições de vida de muitos dos seus fregueses que sobrevivem do ordenado "contadinho". "Se deixam de receber o salário por inteiro, ao fim de dois ou três meses estão em pobreza extrema", explica.

A pandemia veio colocar "muitas pessoas dignas, que vivem dos seus salários", em sérias dificuldades financeiras. "Na nossa freguesia, há casos de pessoas que contraíram covid-19 e que ainda não recuperaram fisicamente para regressarem ao seu ganha-pão. Há outros que estão de tal forma debilitados fisicamente que necessitam do apoio das esposas e que, por essa razão, elas deixam também de trabalhar para cuidar dos maridos", relata Domingos Neves.

Os atrasos dos apoios estatais, "embrulhados em burocracia", estão a contribuir para que a situação de carência social se complique. "A nossa tarefa é ajudar quem precisa. E quem precisa é hoje, de imediato. Amanhã logo se verá", faz notar o presidente da Junta.

PUB

Esta é a segunda vez, num espaço de três meses, que a Junta de Alpendorada, Várzea e Torrão está a apoiar na alimentação da população mais necessitada. O habitual almoço solidário de Natal levado a cabo pela Junta não se realizou por causa da pandemia, "mas as refeições foram entregues nas residências dos mais necessitados".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG