O Jogo ao Vivo

Política

Orçamento do Marco de Canaveses reforçado em 17,5 milhões de euros

Orçamento do Marco de Canaveses reforçado em 17,5 milhões de euros

O Orçamento da Câmara do Marco de Canaveses foi esta tarde reforçado com 17,5 milhões de euros. O "bónus" diz respeito ao saldo da gerência da câmara socialista que ficou por investir em 2020. Deste modo, o Orçamento Municipal para o corrente ano aumenta para os 53,3 milhões de euros.

A decisão foi aprovada pela maioria socialista. O CDS absteve-se e o PSD votou contra.

O ponto da discórdia em ano de autárquicas entre socialistas, que governam a câmara, e social-democratas, que lideram a Oposição, está relacionado com a aplicação do dinheiro "sobrante".

Os socialistas destinam o "mini-jackpot", designadamente, para o apoio a um conjunto de "investimentos prioritários e estruturantes para o desenvolvimento económico e social do concelho já em 2021", justificou Cristina Vieira, presidente da Câmara Municipal. Umas obras já iniciaram e outras estão prestes a arrancar. O valor global de obras em curso/agendadas ascende a oito milhões de euros.

O PSD diz que só sobrou dinheiro no ano transato porque foi reduzida a execução orçamental da governação socialista. Se há dinheiro a mais então que se invista no apoio às famílias e empresas devido à crise pandémica, sugeriu Luís Vales, deputado municipal do PSD. O social-democrata lembrou a rejeição que o PS fez à proposta dos vereadores do PSD para a criação de um Programa Extraordinário de Apoio à Economia Local, a fundo perdido, com uma dotação na ordem dos 600 mil euros (cerca de 1% do orçamento), "tal como acontece em dezenas de municípios por todo o país, mesmo com lideranças socialistas".

Os socialistas do Marco entendem que o plano proposto pelo PSD "é uma medida populista capaz de adensar as injustiças no acesso a eventuais apoios". A presidente de câmara lembrou a existência do Plano de Intervenção Social e Económico Covid-19 do Município "com várias medidas, como a isenção de taxas e redução de impostos e o Fundo de Emergência Municipal que atualmente conta com uma dotação de 250 mil euros e que já permitiu apoiar cerca de 100 famílias", fez notar a autarca.

As obras a financiar com o envelope excedentário de 17,5 milhões, segundo a governação socialista, são empreitadas que vão desde o saneamento e abastecimento de água, às obras de requalificação de equipamentos públicos e de vias em várias freguesias, passando pela aquisição de terrenos para equipamentos e pelo financiamento de candidaturas a fundos comunitários.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG