Marco de Canaveses

Venda do Convento de Alpendurada pode ser adjudicada por 8,35 milhões

Venda do Convento de Alpendurada pode ser adjudicada por 8,35 milhões

Fracassou a segunda tentativa para vender, em leilão online, o Convento de Alpendurada, no Marco de Canaveses. A estrutura, convertida num hotel com 40 quartos, estava à venda pelo valor base de 15 milhões de euros. O leilão decretado por ordem judicial tinha um valor mínimo estabelecido em 12,75 milhões de euros. A única oferta de compra que surgiu foi de 8,35 milhões de euros, muito abaixo do valor base.

Assim, o imóvel não será, para já, adjudicado, sendo considerada como licitação condicional, podendo vir a ser avaliada no processo de execução como se se tratasse de uma proposta de compra de um bem em venda por negociação particular.

Há sete anos, o edifício foi avaliado em 22 milhões de euros.

PUB

A venda em leilão surgiu pela primeira vez há cerca de um ano, em 2 de novembro de 2021, após incumprimento de empréstimo obrigacionista de quatro milhões de euros contraído pela empresa turística que explorava o hotel, que tinha entre os administradores o empresário Taveira da Mota, presidente do Boavista FC no início da década de 1980, que faleceu em 2018.

Segundo o processo, consultado pelo JN, a sociedade detentora do imóvel deu o Convento como garantia à operação financeira "até ao montante de seis milhões de euros" para fazer face "à necessidade premente de liquidez da sociedade que só assim poderia prosseguir a sua atividade".

O edifício, classificado como Monumento de Interesse Público desde 2013, conta com a Igreja Paroquial de Alpendurada numa ala lateral. Fonte da Junta de Freguesia disse ao JN que este espaço está fora do leilão "por não estar englobado no edifício dado como hipoteca e que outrora foi adquirido pela família Taveira da Mota".

De Mosteiro a Hotel passando por Convento

Anterior à fundação da nacionalidade, data da primeira metade do século XI, o Mosteiro de Alpendurada foi importante na época de D. Afonso Henriques que lhe concedeu coutos e honras. Um dos locais mais importantes na época era a biblioteca, onde se guardavam documentos importantes do reino.

Após várias fases de restauro, chegou ao século XXI conservado, mantendo o traço original de construção, com pedras seculares, e com um espólio riquíssimo que marca a passagem dos séculos. Para além do Convento, existem também quinze casas restauradas, originalmente construídas pelos beneditinos.

Transformado em estância turística, o convento possui salões de influência árabe e romana, azulejaria, mobiliário e lustres dos séculos XVII e XVIII, uma coleção de coches raros restaurados e um gigantesco forno a lenha, com cerca de três metros de profundidade e dois de altura. As antigas celas, dormitórios dos frades beneditinos, com bancos de pedra junto às janelas, foram transformadas em quartos de hóspedes.

No amplo terreno que o rodeia o Convento existem, para além da paisagem natural, circuitos de manutenção, piscinas, campos de ténis e uma praia fluvial, que, atualmente, estão praticamente ao abandono.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG