Matosinhos

Adrenalina do escorrega aquático está de volta

Adrenalina do escorrega aquático está de volta

Esperar na fila para repetir a descida não os incomoda. Ao sol, de boia na mão, só se veem sorrisos nos rostos. O escorrega aquático está de volta a Matosinhos, após a pausa forçada motivada pela pandemia, e o regresso está a ser um êxito, ao ponto de serem esperadas cerca de 12 mil pessoas, entre este sábado e domingo.

Na Rua Dr. Abel Salazar, São Mamede de Infesta, o convívio faz-se, sobretudo, em família. Juntam-se em grupos, que incluem amigos, e deslizam alegremente pela pista de 315 metros, desfrutando, cada um à sua maneira, da adrenalina.

Toda a gente está de fato de banho. Até o vice-presidente da Câmara de Matosinhos, Carlos Mouta, e o presidente da União de Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, Leonardo Fernandes. De calções e acompanhados por uma numerosa comitiva também saborearam o banho, com direito a espuma a meio do trajeto.

PUB

O uso do escorrega é grátis e a única condição é levar uma boia. A quem faltar este apetrecho, os balcões têm à venda um "kit", que inclui camisola, e custa cinco euros.

Na manhã deste sábado, o nevoeiro retraiu os participantes, mas assim que o sol apareceu a afluência correspondeu ao esperado.

A potente instalação sonora ajuda à festa. A música amplia as emoções na pista. Para que não haja atropelos, o percurso conta com monitores e os bombeiros estão de prevenção no local.

Esta é a terceira edição do "Water Slide Summer" matosinhense, após os sucessos de 2018 e 2019. Desta vez, por ser um ano de seca, sem direito a desperdícios, a água do escorrega veio da piscina municipal de São Mamede, que vai entrar em obras, para reparações. A água foi transportada pelos bombeiros, em autotanques, e abastece este fim de semana o "Water Slide".

Segundo Fernando Silva, responsável pela organização, o parque volta a abrir no domingo às 10 horas e encerra às 19 horas. Para as crianças, há uma zona à parte, muito concorrida, com insufláveis. Na Rua Dr. Abel Salazar existem ainda barraquinhas de apoio, nomeadamente para a alimentação.

O trânsito está cortado, mas é possível deixar o carro nas imediações. "Trouxe os meus filhos e o filho de um amigo. É uma aventura e uma experiência únicas. Também é uma oportunidade para quebrar a rotina", disse João Ribeiro. "É muito divertido. Já tinha experimentado noutras edições. Gostei tanto que voltei. Vim com a família. É o regresso da animação após a pandemia", afirmou Diana Martins.

"Estive cá há três anos e adorei. O grupo tem nove pessoas. Estamos de volta. O que atrai é a adrenalina. No domingo só não apareço porque trabalho", adiantou Vítor Alves.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG